Marcadores

Pedido

"Aproveitemos o tempo para santificação nossa e dos nossos parentes e amigos. Solicitam orações, que estaremos rezando juntos, em união de orações aos Sagrados Corações."

Novidades!

Novembro: Mês das Almas do Purgatório: Orações finais e outras devoções

Mês das Almas do Purgatório – NOVEMBRO

MÊS DAS ALMAS DO PURGATÓRIO_CAPA

   

ORAÇÕES FINAIS E OUTRAS

DIVERSAS INTENÇÕES


Recomendemos especialmente a Deus

1. A alma mais desamparada.
2. A alma que sofre há mais tempo.
3. As almas dos que mais nos amaram, talvez demais.
4. As almas dos que nós mais esti­mamos.
5. A alma predileta de Jesus e de Maria.
6. A alma que sofre pelos escândalos que lhes causamos.
7. As almas dos sacerdotes que nos diri­giram nas diferentes épocas da nossa vida.
8. As almas daqueles de quem fomos cúmplices em alguma falta.
9. A alma cujo livramento dará mais gloria a Deus.
10. A alma que foi mais fervorosa com a Sagrada Eucaristia e a Santíssima Virgem.
11. As almas dos que não nos estimavam.
12. A alma que não teve zelo na vo­cação que abraçou.
13. A alma por quem somos especial­mente obrigados a orar.
14. A alma que está mais prestes a se remir.
15. A alma que se deixou cair nas fal­tas a que nós somos mais sujeitos.
16. A alma que expia o tempo dissi­pado em leituras frívolas e cuidados ex­cessivos do corpo.
17. A alma que faltou à bondade, à condescendência e a inabilidade.
18. A alma que não cessava de orar pelos agonizantes.
19. A alma que tinha mais devoções às almas do Purgatório.
20. A alma que, sem causa, perdia suas comunhões e se confessava com pouco espírito de fé.
21. A alma que faltava à confiança em Deus.
22. A alma pouco respeitosa com os seus superiores.
23. A alma que se consagrou ao serviço de Jesus sacramentado.
24. A alma que propagou com zelo as boas leituras.
25. A alma que era demasiadamente aferrada à própria opinião.
26. A alma que se deixou dominar pe­los escrúpulos e não obedeceu devidamente a seu confessor.
27. A alma de quem escreveu ou dis­tribuiu este livrinho, quando o Senhor o houver chamado a si.



DEVOÇÕES PELOS MORTOS


Terços das almas do Purgatório

1.o Modo de rezá-lo
Reza-se, dizendo em cada conta do terço comum as duas orações seguintes, que são, ao mesmo tempo, as mais curtas e as mais indulgenciadas.

I. — Nas contas grandes recitam-se os atos de fé, esperança e caridade, com as seguintes fórmulas:

Creio em vós, Senhor, porque sois a verdade eterna.
Espero em vós, Senhor, porque sois a fidelidade suprema.
Amo-vos, Senhor, porque sois a bondade infinita.


O Papa Bento XIV ligou a estes atos:

1. 7 anos e 7 quarentenas de Indulgência.
2. Indulg. plenária, cada mês, tendo-os recitado ao menos uma vez por dia.
3. Indulg. plenária, em artigo de morte, tendo-os recitado muitas vezes durante a vida.


II. — Nas contas pequenas, diz-se a invocação:

Doce Coração de Maria, sede minha salvação.


1º O Santo Padre Pio IX concedeu 300 dias de indulg.
2.° Indulg. plenária, cada mês, pela recitação diária. (As indulgências plenárias nas condições do costume: confissão, comunhão, visita de um oratório público e orações segundo a intenção do Papa.)


III. — Antes do terço faz-se devotamente o sinal da cruz. Depois, o seguinte oferecimento ou algum semelhante:

Meu Deus, pelo dulcíssimo Coração de Maria eu vos ofereço as indulgências que puder ganhar, e rogo-vos que as apliqueis às almas (ou a tal…) do Purgatório.


Três ou quatro minutos bastam para recitar-se este terço. Pode-se ganhar de cada vez pelas almas do Purgatório muitas indulgências.

Não é preciso dizer estas orações com um terço nas mãos. As indulgências são ligadas às fórmulas e não ao modo. Basta que sejam recitadas em estado de graça, isto é, livre a alma de pecado mortal e contrita dos veniais.



2º MODO DE REZAR O TERÇO

Primeiro Terço

V. Deus vinde em meu socorro,
R. Senhor apressai-vos em socorrer-me.
V. O Repouso eterno dai-lhes Senhor,
R.: E a luz do perpétuo esplendor.

1ª Dezena
Eu ofereço, meu amorosíssimo Jesus, pelas almas aflitas do Purgatório, cada um de todos os tormentos, penas e dores de vossa santa Paixão e Morte penosíssima de Cruz, e o Sangue preciosíssimo que derramastes, para nosso remédio e salvação.

Padre N., 10 Repouso eterno, Ave-Maria.


Eu vos ofereço, meu benigníssimo Jesus, pelas almas aflitas do Purgatório, aquela piedosa súplica que fizestes ao Eterno Pa­dre, orando no Horto, quando entriste­cido e amedrontado, pela vista de quanto devíeis sofrer, lhe suplicastes que reti­rasse de vós o amargoso cálice da Paixão: e também aquela inteira e santa resignação com que, sujeitando-vos depois à sua di­vina vontade, lhe dissestes: Faça-se, eterno Pai, não a minha, mas a vossa vontade.

Padre N, 10 Repouso eterno, Ave-Maria.


Eu vos ofereço, meu clementíssimo Jesus, pelas almas aflitas do Purgatório aquele sacro e vivo Sangue que, à força de dor interna, também suastes angustiado, ó meu Jesus, orando no Horto, em tanta abundância, que, correndo em copiosas torrentes, de todo o vosso santíssimo’ Corpo, até chegou a banhar a terra.

Padre N., 10 Repouso eterno, Ave-Maria.


Eu vos ofereço, meu piedosíssimo Jesus, pelas almas aflitas do Purgatório, aquele vergonhoso ultraje de serdes conduzido amarrado, como um malfeitor, à casa do’ pontífice Caifás onde, com aspecto feroz, vos recebeu no meio dos vossos inimigos, os quais, todos aí congregados, como lobos raivosos, estavam esperando-vos, manso Cordeiro.

Padre N., 10 Repouso eterno, Ave-Maria.


Eu vos ofereço, meu misericordiosíssimo Jesus, pelas almas aflitas do Purgatório, aquele admirável silêncio, quando, levantando-se contra vós, inocentíssimo Senhor, tantos falsos testemunhos, não abristes a boca em vossa defesa; mas tudo sofrestes com paciência, dando-nos exemplo para seguirmos a vossa mansidão.

Padre N. 10 Repouso eterno, Ave-Maria.


OFERECIMENTO
(Esta oração se diz no fim de cada terço)

Eu vos rogo, meu clementíssimo Jesus, pela grande doçura do vosso Coração, que tenhais piedade das almas aflitas, que estão penando no Purgatório. Lembrai- vos, Jesus amorosíssimo, de tantas miseri­córdias conosco tão prodigamente repar­tidas. Lembrai-vos das penas, das chagas, dos sofrimentos, das feridas e das dores que suportastes. Lembrai-vos de todas as gotas de vosso precioso sangue, que pelos homens derramastes. Lembrai-vos, enfim, da morte penosíssima, que, por nós peca­dores, com tanto amor padecestes.
Eu por tudo isto vos rogo humildemente que derrameis sobre aquelas almas aflitas a virtude, a eficácia, o fruto e a graça dos mencionados vossos trabalhos e da vossa Paixão, para que, aliviadas daquelas penas, fiquem inteiramente livres e salvas. Lembrai-vos, Jesus misericordiosíssimo, que são vossas filhas diletas, vossas queridas amigas, por vós remidas e por vós eleitas para a glória do Paraíso. Basta de vossa justiça; que já por bastante tempo elas têm penado no fogo. E, se ainda têm que purgar por vosso respeito, sejam benignamente absolvidas: pela infinita misericórdia. Nas vossas mãos eu as entrego, piedosís­simo Senhor meu Jesus Cristo, e a vós de todo o meu coração as recomendo.

OFERECIMENTO

Segundo Terço

1ª Dezena
Eu vos ofereço, meu amantíssimo Jesus, pelas almas aflitas do Purgatório, todas aquelas penas e desprezos que sofrestes, quando estivestes nas mãos daquela iní­qua e cruelíssima gente, cheia de raiva e de furor; pois, não cessaram os pérfidos de afligir-vos excessivamente, com ponta­pés, bofetadas, e escarros no rosto; e mais com blasfêmias e injurias.

Padre N., 10 Repouso eterno, Ave-Maria.


Eu vos ofereço, meu caríssimo Jesus, pelas almas aflitas do Purgatório, aquele santo pudor virginal que, sobremodo, vos acometeu, quando os ímpios judeus vos despiram para amarrar-vos à coluna; e aquela tão grande dor que também sentistes, quando tão fortemente vos aperta­ram as cordas.

Padre N., 10 Repouso eterno, Ave-Maria.


Eu vos ofereço, meu piedosíssimo Jesus. pelas almas aflitas do Purgatório, aquele excessivo tormento que sofrestes, quando fostes tão desapiedada e cruelmente fla­gelado; e a grande dor que sofreu a vossa Mãe Santíssima que, quantos golpes eram dados nas vossas inocentíssimas e santas carnes, tantos ela sentia darem-se-lhe no seu puríssimo Coração.

Padre N., 10 Repouso eterno, Ave-Maria.


Eu vos ofereço, meu piedosíssimo Jesus, pelas almas aflitas do Purgatório, aquela extrema dor que, também, experimentastes, quando fostes injustamente coroado de agudíssimos espinhos; e aquele sacratíssimo sangue que da cabeça e de todas as chagas do corpo saiu, pela nova e ás­pera flagelação.

Padre N. 10 Repouso eterno, Ave-Maria.


Eu vos ofereço, meu misericordiosíssimo Jesus, pelas almas aflitas do Purgatório, aquele duro sentimento que vos magoou, quando os pérfidos judeus, todos a uma voz, gritaram: — crucificai-o, crucificai-o, — pedindo que a Vós, ó meu inocente Senhor, fosse dada, sobre o infame patíbulo da Cruz, a morte e ao facinoroso Barrabaz a vida; cujas vozes foram tão agudas setas, que traspassaram cruelmente o vosso coração, e o da vossa dolorosa Mãe Maria.

Padre N., 10 Repouso eterno, Ave-Maria.

OFERECIMENTO

Terceiro Terço

1ª Dezena
Eu vos ofereço, meu benigníssimo Jesus, pelas almas aflitas do Purgatório, a grande fadiga que suportastes, carregando, desfalecido e magoado, até ao monte Calvário, a Cruz, que, por ser mui pesada, tornou maiores e muito mais agudas vossas dores.

Padre N., 10 Repouso eterno, Ave-Maria.


Eu vos ofereço, meu benigníssimo Jesus, pelas almas aflitas do Purgatório, aquele feroz e acerbíssimo martírio que, com re­quintadas penas e dores, amargamente sofrestes na penosíssima crucificação; e aquele grave tormento que também sentistes, estando vivo três horas na Cruz pois que, estando todo o sagrado corpo cheio de chagas, furadas as mãos e os pés e coroada a cabeça de agudíssimos espinhos, o estar assim pendurado vos causou acerbíssima aflição e dor.

Padre N. 10 Repouso eterno, Ave-Maria.


Eu vos ofereço, meu clementíssimo Jesus, pelas almas aflitas do Purgatório, aquela lastimosa e compassiva lamentação que fi­zestes na Cruz, de vos verdes abandonado do Eterno Pai; e quando, vendo também que o Céu retirava de vós os seus amoro­sos confortos, todo doloroso e desconso­lado, dissestes: — Meu Deus! meu Deus! por que me desamparastes?

Padre N., 10 Repouso eterno, Ave-Maria.


Eu vos ofereço, meu clementíssimo Jesus, pelas almas aflitas do Purgatório, aquela última dor que sentistes, ao separar-se a vossa alma do corpo, quando, encomendado vosso espírito ao Pai, com lágrimas nos olhos, em alta voz, dissestes: — Pai, nas vossas mãos encomendo o meu espírito.

Padre N., 10 Repouso eterno, Ave-Maria.


Eu vos ofereço, finalmente, misericordio­síssimo Jesus, pelas almas aflitas do Purgatório, todas as dores que sofreu a vossa bendita Mãe, em cima do monte Calvário, não só quando ela vos viu penar entre tantos espasmos e dores, e morrer, na Cruz, com tanta ignomínia; mas também, ao ver-vos traspassado pela lança cruel, no vosso sacratíssimo lado; ao ver-vos des­cido da Cruz, e depositado nos seus bra­ços; ao ver-vos, enfim, encerrado no santo sepulcro, banhado de lágrimas desta vossa saudosa Mãe e minha magoada Senhora.

Padre N., 10 Repouso eterno, Ave-Maria.



VIA-SACRA pelas almas do Purgatório


1º. — Diante de cada estação, indica-se o assunto que lhe corresponde, para fixar o espírito sobre uma das dores de Jesus Cristo.

2º. — Recita-se com devoção o seguinte oferecimento a que Pio IX ligou 100 dias de indulg.:
Eterno Padre, eu vos ofereço o Sangue, a Paixão e a Morte de Jesus Cristo, as dores da Santíssima Virgem e as de S. José, pela remissão dos meus pecados, livra­mento das almas do Purgatório, necessi­dades da Santa Madre Igreja e a conversão dos pecadores.

3º. — Repete-se dez vezes a invocação: Meu Jesus, misericórdia !
300 dias de indulg. cada vez.

4º. — Termina-se com o versículo:
As almas dos fieis por misericórdia de Deus descansem em paz. Amem.

Não exige o Padre-nosso e Ave Maria.

Um quarto de hora basta para esta Via-Sacra na qual as indulgências peculiares deste pio exercício crescem consideravelmente com as das orações apontadas.


Veja as orações da Via-sacra no «Adoremus» ou no Devoto de S. José»

Invocações para a Missa ou novena, concluindo por uma dezena de terço ou com a jaculatória «Meu Jesus, Misericórdia»

1ª — Senhor Jesus! dignai-vos, pelo pre­cioso Sangue que derramastes no Jardim das Oliveiras, socorrer e livrar as almas do Purgatório, principalmente a mais de­samparada. Levai-a hoje para o Céu, a fim de que, unida aos Anjos e a vossa Mãe Santíssima, ela vos bendiga para sempre. Amem.
2ª — Senhor Jesus! pelo precioso San­gue que derramastes durante vossa flagelação, dignai-vos socorrer e livrar as almas do Purgatório, principalmente a que em vida me fez mais benefícios. Levai-a hoje para o Céu, a fim de que, unida aos Anjos e a vossa Mãe Santíssima, ela vos bendiga para sempre. Amem.
3ª — Senhor Jesus! pelo. precioso San­gue que derramastes durante vossa coroação de espinhos, dignai vos socorrer e livrar as almas do Purgatório, principalmente a que mais amou a Santíssima Virgem. Levai- a hoje para o Céu, a fim de que, unida aos Anjos e a vossa Mãe Santíssima, ela vos bendiga para sempre. Amem.
4ª — Senhor Jesus! pelo Sangue pre­cioso que derramastes, carregando a vossa Cruz, dignai-vos socorrer e livrar as al­mas do Purgatório, principalmente a que sofre pelos maus exemplos que lhe dei. Levai-a hoje para o Céu, a fim de que, unida aos Anjos e a vossa Mãe Santíssima, vos bendiga para sempre. Amem.
5ª — Senhor Jesus! pelos merecimentos do Sangue precioso contido no cálice que apresentastes a vossos apóstolos depois da Ceia, dignai-vos socorrer e livrar as almas do Purgatório, principalmente a que foi mais fervorosa com o Santíssimo Sa­cramento do Altar. Levai-a hoje para o Céu, a fim de que, unida aos Anjos e a vossa Mãe Santíssima, vos bendiga para sempre. Amem.
6ª — Senhor Jesus! pelos méritos do Sangue precioso que manou de vossas chagas, dignai-vos socorrer e livrar as al­mas do Purgatório, principalmente a da­quele a quem me confiastes na terra. Levai-a hoje para o Céu, a fim de que, unida aos Anjos e a vossa Mãe Santíssima, ela vos bendiga para sempre. Amem.
7ª — Senhor Jesus! pelos méritos do Sangue precioso que saiu do vosso sagra­do Coração, dignai-vos socorrer e livrar as almas do Purgatório, principalmente a que mais propagou o culto do vosso Sacratíssimo Coração. Levai-a hoje para o Céu, a fim de que, unida aos Anjos e a vossa Mãe Santíssima, ela vos bendiga para sempre. Amem !
8ª — Senhor Jesus! pelos merecimentos de vossa adorável resignação sobre a Cruz, dignai-vos socorrer e livrar as almas do Purgatório, principalmente a que mais pa­dece por minha causa. Levai-a hoje ao Céu, a fim de que, unida aos Anjos e a vossa Mãe Santíssima, ela vos bendiga para sempre. Amem.
9ª —- Senhor Jesus! pelos méritos das lágrimas que a Santa Virgem derramou ao- pé de vossa Cruz, dignai-vos socorrer e livrar as almas do Purgatório, principal­mente a que vos é mais cara. Levai-a hoje para o Céu, a fim de que, unida aos Anjos e a vossa Mãe Santíssima, ela vos ben­diga para sempre. Amem.


* * *


Aos que nas penas estão,
Valha a vossa compaixão,
Ó Maria.


Súplicas pelas almas dos fiéis defuntos

(do Pe. Martinho de Cochem)

Ó Pai de toda a misericórdia, tende piedade das almas benditas do Purgatório.

Ó piedosíssimo Redentor do mundo, Jesus Cristo, livrai as almas do purgatório de seus tormentos.

Espírito Santo, Deus de todo o amor, livrai as almas dos fieis defuntos de suas grandes penas.

Virgem Maria, cheia de graça, Mãe de misericórdia, alcançai às almas perdão e misericórdia.

Todos os Anjos, visitai-as e consolai-as no seu cárcere!

Todos os Santos e Bem aventurados no céu, rogai pelas almas do purgatório que tanto sofrem.

Prostrai-vos todos diante do trono de Deus, pedindo perdão e misericórdia por elas.

Ó Deus, atendei às súplicas dos vos­sos Santos, e livrai as almas que tanto, sofrem no fogo do purgatório.

Eu clamo juntamente com eles a Vós, Senhor, olhai propício para o purgatório, e lembrai-Vos da vossa piedade e miseri­córdia.

Oh! quanto são terríveis as chamas do purgatório, quão cruéis as dores que lá as almas sofrem!

Pela paixão e morte de Jesus Cristo, tende piedade delas, ó Pai de misericórdia, ó Deus de toda a consolação!

Eu Vos ofereço para purificação das almas dos fieis defuntos as lágrimas de Jesus, e para alivio de suas penas e dores Vos ofereço o preciosíssimo Sangue do vosso divino Filho.

Eu Vos ofereço para expiação de suas culpas os tormentos que Jesus sofreu na cruz, e para perdão dos seus pecados todos os horrores que o mesmo Jesus pa­deceu na sua agonia.

Eu Vos ofereço para seu livramento to­das as santas Missas e o sagrado Corpo e o precioso Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo que está presente sobre os nossos altares.

Ó meu Deus, Pai de misericórdia, acei­tai propício este oferecimento, e salvai as almas do purgatório pelo amor de Maria Santíssima, e sobretudo pelo amor de Jesus Cristo, vosso divino Filho, Nosso Senhor. Amem.

V. Dai-lhes, Senhor, o descanso eterno,
R. Entre os resplendores da luz perpétua.
V. Descansem em paz.
R. Amem.




Ofício das Benditas Almas do Purgatório


Matinas

Abrirei meus lábios / Em tristes assuntos, /
Para sufragar / Os fiéis defuntos.
Sede em meu favor,/ Salvador do mundo,/
E das almas santas / Do lago profundo.
Nós vos pedimos / Pronta salvação,
preferindo aquelas / da nossa intenção.
Para que por vós,/ Jesus, Sumo Bem,
elas já descansem / Para sempre. Amém.

Hino

Deus vos salve, Cristo / Em vossa Paixão,/
Redentor das almas / Dos filhos de Adão.
Por tal benefício / Público e notório,/
Socorrei as almas / Lá no purgatório.
Não entreis com elas,/ Senhor, em juízo,/
Para que não tenham / Total prejuízo.
Porque na presença / Do Crucificado,/
Nenhum dos viventes / É justificado.
Pelo sacrifício da sagrada Missa,/
Não useis com elas / Da vossa justiça.
Com as tristes almas,/ Meu Senhor, usai /
Das misericórdias / De Deus, vosso Pai.
Vós sois o Cordeiro / Todo ensanguentado,/
Para o bem das almas / Tão sacrificado.
Supra o vosso sangue, / Precioso e santo,/
O dever das almas, / Que padecem tanto.
Peçamos a Deus / A eterna luz,/
Para os que já dormem / Em Cristo, Jesus.
Ouvi meu bom Deus,/ O deprecatório /
Em favor das almas / Lá no purgatório.

Pai Nosso e Ave Maria.

Oração

Onipotente e misericordioso Deus e Senhor nosso, supremo dominador dos vivos e dos mortos. Pelos merecimentos infinitos do vosso unigênito Filho, e também pelos grandes merecimentos da sempre Virgem Maria, sua Mãe e por todos os merecimentos dos bem- aventurados, concedei propício o perdão das penas que merecem as almas dos fiéis defuntos, pelas quais fazemos estas preces para que, livres do purgatório, vão gozar da eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Amém.


Prima

Sede em meu favor,/ Salvador do mundo,/
E das almas santas / Do lago profundo.
Nós vos pedimos / Pronta salvação,/
preferindo aquelas / da nossa intenção.
Para que por vós, / Jesus, Sumo Bem,/
elas já descansem / Para sempre. Amém.

Hino

Deus vos salve, Excelso / Senhor compassivo,/
Das almas que penam / Entre o fogo vivo.
Segundo Batismo / Lhes dai, meu Senhor,/
Batismo de fogo / Purificador.
Como em Babilônia / Os três inocentes /
Só de vós se lembram / Nas chamas ardentes.
Só a vossa clemência / As pode remir /
Do fogo que arde / Sem as consumir;
Fogo que formastes / Com tais predicados,/
Para expiação / Dos nossos pecados.
Muito mais ativo/ que o calor do sol,/
Pior que uma frágoa / Que um vivo crisol.
Supra o vosso sangue, / Que é tão meritório,/
O dever das almas / lá no purgatório.
Aplacai das chamas / Também o calor,/
Daquele tremendo/ fogo expiador.
Peçamos a Deus / A eterna luz,/
Para os que já dormem / Em Cristo, Jesus.
Ouvi meu bom Deus, / O deprecatório./
Em favor das almas / Lá no purgatório.

Pai Nosso e Ave Maria.

Oração
Onipotente e misericordioso Deus e Senhor nosso, supremo dominador dos vivos e dos mortos. Pelos merecimentos infinitos do vosso unigênito Filho, e também pelos grandes merecimentos da sempre Virgem Maria, sua Mãe e por todos os merecimentos dos bem- aventurados, concedei propício o perdão das penas que merecem as almas dos fiéis defuntos, pelas quais fazemos estas preces para que, livres do purgatório, vão gozar da eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Amém.


Terça

Sede em meu favor,/ Salvador do mundo,/
E das almas santas / Do lago profundo.
Nós vos pedimos / Pronta salvação,/
preferindo aquelas / da nossa intenção.
Para que por vós, / Jesus, Sumo Bem,/
elas já descansem / Para sempre. Amém.

Hino

Deus vos salve, Pai / De misericórdia,/
Onde resplandece / A paz e a concórdia.
Por tal excelência / Que em vós adoramos,/
Socorrei as almas, / Por quem suplicamos.
Tão aferrolhadas, / Como Manassés,/
Mover não podem / Suas mãos nem pés.
Privadas de verem / Ao grande Adonai./
Seu eterno Rei, / Seu divino Pai.
Mais penalizadas / Do que Absalão,/
Por já não gozarem/ de Deus a visão.
Como o santo Jó / Tão amargamente /
Lágrimas derramam / Para Deus somente.
Qual o Rei Profeta,/ Seus olhos aflitos /
Estão já enfermos / Por falta de espírito.
Médico divino / Só vossa virtude /
Pode dar às almas/ eterna saúde.
Peçamos a Deus / A eterna luz,/
Para os que já dormem / Em Cristo, Jesus.
Ouvi meu bom Deus, / O deprecatório./
Em favor das almas / Lá no purgatório.

Pai Nosso e Ave Maria.

Oração
Onipotente e misericordioso Deus e Senhor nosso, supremo dominador dos vivos e dos mortos. Pelos merecimentos infinitos do vosso unigênito Filho, e também pelos grandes merecimentos da sempre Virgem Maria, sua Mãe e por todos os merecimentos dos bem- aventurados, concedei propício o perdão das penas que merecem as almas dos fiéis defuntos, pelas quais fazemos estas preces para que, livres do purgatório, vão gozar da eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Amém.


Sexta

Sede em meu favor,/ Salvador do mundo,/
E das almas santas / Do lago profundo.
Nós vos pedimos / Pronta salvação,/
preferindo aquelas / da nossa intenção.
Para que por vós, / Jesus, Sumo Bem,/
elas já descansem / Para sempre. Amém.

Hino

Deus vos salve nosso / Divino Mecenas,/
Protetor das almas / Que estão entre penas.
Vós sois nosso irmão / Pela humanidade,/
Nosso advogado / Com a divindade.
Derramai mil graças / Dessas vossas mãos /
Sobre aquelas almas / Dos nossos irmãos.
Obrai, pois com elas,/ Já com brevidade,/
Um gasto estupendo / Da vossa bondade.
Apressai as horas / Chegai os momentos /
De finalizarem / Seus grandes tormentos.
Não vos recordeis / Dos tempos passados,/
Quando cometeram / Seus grandes pecados.
Supra o vosso sangue,/ Tão satisfatório /
O dever das almas / Lá no purgatório.
Acabai as vossas / Correções fraternas,/
Para que já gozem / delícias eternas.
Peçamos a Deus / A eterna luz,/
Para os que já dormem / Em Cristo, Jesus.
Ouvi meu bom Deus, / O deprecatório./
Em favor das almas / Lá no purgatório.

Pai Nosso e Ave Maria.

Oração
Onipotente e misericordioso Deus e Senhor nosso, supremo dominador dos vivos e dos mortos. Pelos merecimentos infinitos do vosso unigênito Filho, e também pelos grandes merecimentos da sempre Virgem Maria, sua Mãe e por todos os merecimentos dos bem- aventurados, concedei propício o perdão das penas que merecem as almas dos fiéis defuntos, pelas quais fazemos estas preces para que, livres do purgatório, vão gozar da eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Amém.


Noa

Sede em meu favor,/ Salvador do mundo,/
E das almas santas / Do lago profundo.
Nós vos pedimos / Pronta salvação,/
preferindo aquelas / da nossa intenção.
Para que por vós, / Jesus, Sumo Bem,/
elas já descansem / Para sempre. Amém.

Hino

Deus vos salve, Cristo,/ Pastor piedoso /
Das almas benditas/ Do lago Penoso.
Libertai as almas, / Pastor sempiterno,/
Daquele lugar / Junto do inferno.
Qualquer dessas almas,/ Que pena Terá!/
Porque no inferno / Quem vos louvará?
Nestas tristes almas,/ Senhor, acabai /
Os justos castigos / De Deus, vosso Pai.
Supra vosso sangue, / Tão satisfatório /
O dever das almas/ Lá no Purgatório.
Quebrai, meu Jesus,/ poderoso e forte/
Aquelas prisões / Dos laços da morte.
Seja o vosso braço / O libertador /
Das almas que penam / Em tanto rigor.
Por vós finalize, / Jesus soberano,/
Nessas tristes almas / A pena do dano.
Peçamos a Deus / A eterna luz,/
Para os que já dormem / Em Cristo, Jesus.
Ouvi meu bom Deus,/ O deprecatório./
Em favor das almas / Lá no purgatório.

Pai Nosso e Ave Maria.

Oração
Onipotente e misericordioso Deus e Senhor nosso, supremo dominador dos vivos e dos mortos. Pelos merecimentos infinitos do vosso unigênito Filho, e também pelos grandes merecimentos da sempre Virgem Maria, sua Mãe e por todos os merecimentos dos bem- aventurados, concedei propício o perdão das penas que merecem as almas dos fiéis defuntos, pelas quais fazemos estas preces para que, livres do purgatório, vão gozar da eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Amém.


Vésperas

Sede em meu favor,/ Salvador do mundo,/
E das almas santas / Do lago profundo.
Nós vos pedimos / Pronta salvação,/
preferindo aquelas / da nossa intenção.
Para que por vós, / Jesus, Sumo Bem,/
elas já descansem / Para sempre. Amém.

Hino

Deus vos salve, Filho / Do Onipotente,/
Com as tristes almas,/ Sempre tão clemente.
Tende compaixão / Dessas tristes almas,/
Que estão padecendo / Rigorosas chamas.
Bem como as securas / Do rico avarento,/
Padecem as almas / Outro igual tormento.
Assim como os servos / Dos vales e montes,/
Quando sequiosos / Procuram as fontes.
Assim mesmo as almas / Querem excessivas /
Só a vós, meu Deus,/ Fontes d’águas vivas.
Mandai-lhes, propício, / As águas da graça,/
Para melhorarem / daquela desgraça.
O perdão das almas,/ Senhor, alcançai,/
Das misericórdias / De Deus vosso Pai.
Vosso sangue seja,/ Propiciatório,/
De Deus para as almas / Lá no purgatório.
Peçamos a Deus / A eterna luz,/
Para os que já dormem / Em Cristo, Jesus.
Ouvi meu bom Deus, / O deprecatório./
Em favor das almas / Lá no purgatório.

Pai Nosso e Ave Maria.

Oração
Onipotente e misericordioso Deus e Senhor nosso, supremo dominador dos vivos e dos mortos. Pelos merecimentos infinitos do vosso unigênito Filho, e também pelos grandes merecimentos da sempre Virgem Maria, sua Mãe e por todos os merecimentos dos bem- aventurados, concedei propício o perdão das penas que merecem as almas dos fiéis defuntos, pelas quais fazemos estas preces para que, livres do purgatório, vão gozar da eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Amém.


Completas

Converta-nos Deus, / A nós todos juntos /
Para sufragarmos / Os fiéis defuntos.
Sede em meu favor,/ Salvador do mundo,/
E das almas santas / Do lago profundo.
Nós vos pedimos / Pronta salvação,/
preferindo aquelas / da nossa intenção.
Para que por vós, / Jesus, Sumo Bem,/
elas já descansem / Para sempre. Amém.

Hino

Deus vos salve, Esposo / Das almas fiéis /
Que estão padecendo / Tormentos cruéis.
Olhai compassivo / Para as fadigas /
Dessas que não são / Vossas inimigas.
Mesmo assim vos amam / Em tal padecer,/
Sem aqueles toques / Do doce prazer.
Como as Virgens loucas / Foram imprudentes,/
Perdoai as suas / Ações negligentes.
Celebrai depressa / As núpcias eternas,/
Com aquelas almas / humildes e ternas.
Conduzi-as logo / À feliz herança /
Da vossa suprema / Bem-aventurança.
Transporta-as já / Sem mais dilação /
Para os tabernáculos / Da santa Sião.
Por vós gozem elas / Sem menor detença /
Os doces efeitos / Da vossa presença.
Peçamos a Deus / A eterna luz,/
Para os que já dormem / Em Cristo, Jesus.
Ouvi meu bom Deus, / O deprecatório./
Em favor das almas / Lá no purgatório.

Pai Nosso e Ave Maria.

Oração
Onipotente e misericordioso Deus e Senhor nosso, supremo dominador dos vivos e dos mortos. Pelos merecimentos infinitos do vosso unigênito Filho, e também pelos grandes merecimentos da sempre Virgem Maria, sua Mãe e por todos os merecimentos dos bem- aventurados, concedei propício o perdão das penas que merecem as almas dos fiéis defuntos, pelas quais fazemos estas preces para que, livres do purgatório, vão gozar da eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Amém.


Oferecimento

Nós Vos oferecemos, / Ó bom Deus propício, / Pelas tristes almas, / Este breve ofício. Vós que sabeis tudo / Quanto nós pensamos, / Bem sabeis que almas / Hoje sufragamos. Participem todas / Por vossa bondade, / Conforme a justiça / E a caridade. Para que por vós, / Jesus, Sumo Bem, / Em paz já descansem / Para sempre. Amém.



Ao Mês das Almas


Respostas
Meus amigos, vós ao menos,/ de nós tende compaixão,/ rogaremos, pois, na glória,/ pela vossa salvação.

A
Ai de nós que se dilata / a nossa ardente prisão./ Quando veremos a Deus / no Reino da Salvação.

B
Bem podia nossos filhos,/ nossos irmãos, nossos pais,/ moderar nossos tormentos,/ dar alívio aos nossos ais.

C
Com sufrágios, com pedidos,/ a Deus nosso Salvador / pra tirar-nos destas chamas / pelo seu divino amor.

D
Dai-nos socorros mortais,/ abrande-se Deus por vós,/ lembrai-vos que sereis breve,/ padecentes como nós.

E
Estamos em mar de fogo,/ onde jazigo já não temos,/ só nas vossas orações / achar alívio podemos.

F
Fogo ativo, fogo ardente,/ chama a mais devoradora / pela justiça divina / em nossas almas labora.

G
Gemendo, mas esperando,/ chorando por ir gozar,/ a Deus por quem suspiramos / se finde o nosso penar.

H
É possível, ó mortais,/ que esquecidas desta sorte,/ vosso amor para conosco / tivesse fim sem a morte?

I
Irmãos no corpo e na alma,/ irmãos na religião,/ irmãos na vida e na morte / tende de nós compaixão.

J
Já fomos no mundo amadas,/ de vós agora esquecidas,/ sofrendo estamos as penas,/ por nossas culpas merecidas.

L
Lembrai-vos de nós, aflitas / Por Deus, por Santa Maria,/ que por entre acerbas penas / a sua glória nos guia.

M
Mundo, ó mundo enganoso,/ que deixamos sem pesar,/ medita em nossos tormentos:/ terás menos que purgar.

N
Não peques, pois que os pecados / condenam sendo mortais,/ estas chamas só consomem / simples culpas veniais.

O
Oh, se todos nossos dias / fossem dados ao Senhor,/ não havia purgatório / nem penas de tal rigor!

P
Purgatório onde existimos,/ chamando Igreja purgante,/ é o lugar que habitamos / entre fogo devorante.

Q
Quer Deus estas nossas almas / qual ouro purificar,/ pra na Igreja triunfante / o podermos gozar.

R
Rogaremos então nós / pela militante igreja,/ vossa devoção conosco / hoje abençoada seja.

S
Seja o nosso Deus servido,/ nossos rogos aceitar,/ entretanto vós por nós / não cesseis de suplicar.

T
Tende de nós piedade,/ cristãos filhos de Jesus,/ vos pedimos pelas dores,/ que por nós sofreu na cruz.

U
Um rosário muitas vezes,/ pode uma alma resgatar,/ se for dum vosso parente / que prazer em o pensar.

V
Venham a nós vossas preces,/ penitência e devoção,/ missas, esmolas, sufrágios / fazei por nossa tensão.

X
Chamai em nosso socorro / a Mãe de Deus vossa amante,/ cuja vista nossa chama / torna mais refrigerante.

Z
Zelai os nossos legados,/ como Deus mandado tem,/ para nos vermos unidos / nos céus para sempre. Amém.



Bendito Final


Bendito Deus de Israel,/ que fez nossa redenção / purgadas no fogo as almas,/ as leva à Santa Sião.
Bendito que entre as chamas,/ dentre o fogo abrasador,/ livra as almas que no Céu / lhe vão tributar louvor.
Bendito Jesus; Pai nosso,/ que nos altos céus estais,/ socorrei, como pedimos,/ as almas santas que amais.
É bendito vosso nome / e também santificado / pelas almas que absolveis, / do resto do pecado.
Chegue a elas vosso Reino, ouvi seus gemidos ternos,/ fazei-as passar aos vossos / Tabernáculos eternos.
Cumpra-se a vossa vontade / em que saiam do tormento / essas almas que suspiram / pela luz do livramento.
O pão que elas desejam / lhes daí Senhor neste dia./ Vós mesmo sois o pão vivo / que as farta de alegria.
Perdoai quanto vos devem;/ como bom Pai amoroso / libertai libertai nossas irmãs / desse lago tormentoso.



Hinos à Santíssima Virgem Pelos mortos

(Versão do latim)

I
Aos que nas chamas estão / do purgatório terrível,/ nesse tormento indizível,/ valha tua compaixão,/ Ó Maria!
Fonte pura e salutar / que lavas nossos pecados,/ banha as almas dos finados,/ alivia o seu penar,/ Ó Maria!
Atende essa grei tão pia:/ sua aflição é intensa,/ ergue-as à tua presença,/ dá-lhes a eterna alegria,/ Ó Maria!
Mãe, acode aos padecentes,/ abre-lhes o seio amoroso;/ do Cristo o Sangue precioso / resgate já esses crentes,/ Ó Maria!
És a esperança da Igreja:/ em prol dessa multidão / move teu Filho ao perdão,/ dá-lhe a coroa que almeja,/ Ó Maria!
Que este pranto, esta prece,/ indo ao Sumo Julgador,/ desse fogo abrasador / livre a Igreja que padece,/ Ó Maria!
E no dia de juízo,/ quando Jesus nos julgar,/ Terna Mãe lhe hás de rogar / que nos leve ao Paraíso,/ Ó Maria!

II
Coro: Santa Mãe de Deus,/ Mãe do Salvador,/ abri os céus,/ das almas tende compaixão.
1. Tende compaixão,/ Mãe do Bom Jesus./ Por vosso amor,/ livrai as almas da prisão.
2. Que na eterna luz,/ estejam com Jesus / em doce união,/ felizes para sempre. Amém. 

MÊS DAS ALMAS DO PURGATÓRIO. Mons. Dr. José Basilio Pereira. 1943. Bahia. Editora Mensageiro da Fé Ltda. Imprimatur 1942. Editado, formatado e revisado por Carlos Alberto de França Rebouças Junior. Fortaleza, 27 de março de 2011. Fonte.

DIA ANTERIOR - PRÓXIMO DIA

PRIMEIRO DIA - ORAÇÕES PARA CADA DIA

Postagens mais visitadas deste blog

Ladainha de Nossa Senhora ou de Loreto

Orações Jaculatórias

Os benefícios de rezar pelas Almas do Purgatório

Mãe do Salvador, rogai por nós!

Mãe do Salvador, rogai por nós!
Clique e reze o Terço

Vale a pena ler

Vale a pena ver...