Informação

Este blog tem a modesta pretensão de divulgar somente orações CATÓLICAS, conforme a Santa Tradição da Igreja. Pedimos a caridade de nos informar eventual erro de digitação e/ou tradução, ou link quebrado (vejam o formulário no menu lateral). Gratos.

Pedido

"Aproveitemos o tempo para santificação nossa e dos nossos parentes e amigos. Solicitam orações, que estaremos rezando juntos, em união de orações aos Sagrados Corações."

Pesquisar neste blog

.


"Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco. Bendita sois vós entre as mulheres, e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora da nossa morte. Amém."

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

domingo, 16 de dezembro de 2012

Novena do Advento

NOVENA DO ADVENTO

De 16 a 24 de Dezembro

 
Nossa Senhora do Advento
1 - Eterno Pai, eu vos ofereço para vossa honra e glória e para minha salvação, os sofrimentos da Santíssima Virgem Maria e de São José na longa e penosa de jornada de Nazaré a Belém; e a angústia de seus corações por não acharem onde hospedar-se quando se aproximava o nascimento do Redentor do mundo.

Glória ao Pai.

2 - Eterno Pai, eu vos ofereço para vossa honra de glória e para minha salvação, o presépio em que Jesus Cristo nasceu, as palhinhas que lhe serviram de berço, o frio que sofreu, as mantilhas em que foi envolvido, as lágrimas que derramou e os seus ternos gemidos.

Glória ao Pai.

3 - Eterno Pai, eu vos ofereço para Vossa honra de glória e para minha salvação, a humildade, mortificação, paciência, caridade e todas as virtudes de Jesus Menino e vos agradeço, amo e bendigo constantemente por este inefável mistério da Encarnação do Verbo Divino.

Glória ao Pai.



*

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Visitas... - Súplicas para pedir perdão a Deus. XL

VISITAS AO SANTISSIMO SACRAMENTO E A MARIA SANTISSIMA PARA TODOS OS DIAS DO MEZ.

ACTOS DE PREPARAÇÃO E DE ACÇÃO DE GRAÇAS PARA A SAGRADA COMUNHÃO.
MODO DE REZAR A COROA DAS DORES DE NOSSA SENHORA, E ACTOS QUE DEVE FAZER O CHRISTÃO TODOS OS DIAS.
LINDA EDIÇÃO DE NOVAS ORAÇÕES, E A NOVENA AO SANTISSIMO, E DEVOÇÕES A NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA ROCHA
.


*
*   * 



SUPLICAS PARA PEDIR PERDÃO A DEUS.


Contra Vós Salvador do mundo, pequei como o filho prodigo, recebei-me porem penitente, Pai amoroso, e tende de mim compaixão.

Como o publicano, a Vós levanto minha voz, Cristo Salvador: sede-me propicio como a ele fostes, e tende de mim compaixão.

Vossa proteção e pronto auxilio, ó Virgem pura, manifestai a vosso servo; reprimi n’esta hora a onda das vãs cogitações, e levantai minh’alma caída ó bendita entre as mulheres; conhecido tenho quanto podeis, sede minha intercessora e advogada.

Como quem caiu em mãos de ladrões, e foi d’eles mal ferido, assim caí eu em feias culpas de que minha alma está chagada; a quem me socorrerei enfermo senão ao medico das almas? Derramai sobre mim, Deus meu, vossa grande misericórdia.

Venho como o filho prodigo ao Pai compassivo; recebei-me Deus meu, como um de vossos mercenários, e tende de mim compaixão.

Caí em poder de mãos pensamentos que como ladrões despojaram minh’alma, a feriram e maltrataram horrivelmente, e por isso jazo no caminho d’esta vida despido de virtudes e merecimentos. Tão asquerosas são minhas chagas que o Sacerdote apartou de mim os olhos, por julgá-las incuráveis. Passou por mim o levita e não curou de mim por julgar-me de forças desamparado. Vós porém, Senhor, que não sois de Samaria mas o Filho de Maria, por vossa clemencia sarai minhas chagas com o balsamo de vossa misericórdia.

Na mente revolvo o dia tremendo em que com fogo haveis de julgar o mundo: percorro meus péssimos feitos, e estremeço quando me lembro que em vossa presença hei de comparecer reo! Que responderei ao rei eterno, ao inexorável Juiz de vivos e mortos? Com que cara hei de comparecer perante seu tribunal supremo? Pai piedoso, Filho unigênito, Espirito paraclito, tende de mim compaixão.

No vale do pranto, quando vos assentardes n’um trono de nuvens para pronunciar a terrível sentença, não ponhais patentes meus pecados, nem em presença de vossos anjos me confundais; porem perdoai-me, Deus meu, e tende de mim compaixão.

Eu sou aquela arvore infrutífera, Senhor, que nenhum fruto de compunção hei produzido, temo seja cortada, e ao fogo eterno lançada: pelo que vos peço Salvador e Redentor meu, que antes de tamanha desgraça me convertais e salveis.

Consoladora esperança do mundo, Virgem Mãe de Deus, peço a vossa única proteção, compadecei-vos de mim pecador, e suplicai ao Deus misericordioso, para que no mundo me livre de todo o perigo de pecado e na eternidade me dê a gloria dos escolhidos. Amém.




[Figura: Ns. Sr. Crucificado.]
clique para ampliar a imagem


CONTINUA...
_

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Visitas ao Santíssimo Sacramento e a Maria Santíssima Para Todos os Dias do Mês - XXXIX [Figura: Ns. Sr. Crucificado.] clique para ampliar a imagem [Figura: Ns. Sr. Crucificado.] clique para ampliar a imagem

VISITAS AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO E A MARIA SANTÍSSIMA PARA TODOS OS DIAS DO MÊS.

ATOS DE PREPARAÇÃO E DE AÇÃO DE GRAÇAS PARA A SAGRADA COMUNHÃO.

MODO DE REZAR A COROA DAS DORES DE NOSSA SENHORA E ATOS QUE DEVE FAZER O CRISTÃO TODOS OS DIAS.

LINDA EDIÇÃO DE NOVAS ORAÇÕES E A NOVENA AO SANTÍSSIMO E DEVOÇÕES A NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA ROCHA.


*
*   * 



RELIGIOSOS PROTESTOS


I.
Eu o mais miserável e maior de todos os pecadores, com o mais profundo respeito e submissão, humildemente prostrado ante o Trono de vossa Divina Majestade, e na vossa adorável e respeitável presença, protesto que creio firmemente tudo quanto crê e ensina a Santa Madre Igreja Católica Apostólica Romana, única e verdadeira Igreja, fora da qual não ha salvação, pois só esta foi instituída por Vós, verdadeiro Deus, e verdadeiro Homem, Verbo Divino feito carne para redenção dos homens, Redentor e Salvador nosso, Supremo Juiz que nos haveis de julgar, unigênito do Eterno Pai consubstancial com ele mesmo, e com Ele e com o Espirito Santo o mesmo e Único Deus. N’esta Fé, cujos mistérios todos e cada um dos seus artigos aqui hei por explicitamente confessados, e na qual por misericórdia Vossa, Senhor, tenho vivido desde o meu baptismo, protesto querer constante e inviolavelmente persistir, e apesar de tudo permanecer até ao ultimo instante da minha vida. Protesto vencer e desprezar, mediante a Vossa Graça todas as tentações com que o inimigo comum do gênero humano me possa acometer contra qualquer dos Dogmas ou verdades reveladas ensinadas pela Santa Madre Igreja, para o que imploro a Vossa Divina Graça, só com a qual poderei triunfar do mesmo inimigo; e se por desgraça minha, acontecer, que alienado dos sentidos, eu diga, pense ou faça alguma cousa que seja, ou pareça ser contraria, ou menos conforme a estes meus protestos, desde já para sempre tudo isso retrato, desdigo, revogo, desprezo, e declaro que nada d’isso é minha vontade, e que só é a renuncia, resistência, combate, e vencimento de tudo quanto for oposto ou menos conforme à Vossa Divina Fé.

II.
Protesto na vossa adorável presença, Senhor, que desejo render-vos infinitas graças, por me haverdes tirado do nada, criado para Vós e à Vossa imagem e semelhança, especialmente por me haverdes feito Cristão, chamando-me ao santo baptismo, e por ele ao seio da santa Igreja, concedendo-me o preciosíssimo dom da Fé com as mais virtudes infusas, e adotando-me por vosso filho e herdeiro do Céu, isto só a impulsos do vosso amor e Misericórdia, dignando-vos escolher-me entre milhares e preferir-me a um sem numero d’almas, que por vossa terrível e adorável Justiça foram deixadas na massa da perdição. Ah! que graças podem ser bastantes para tão especial e gratuita predileção!
E que direi eu da particular providencia com a qual desde os meus primeiros anos, desde o principio da minha existência no mundo, tendes vigiado sobre mim como o mais desvelado e amante Pai, fazendo sensível por modos tão notáveis, particulares, e até extraordinários um cuidado paternal o mais solicito e extremoso! Que direi da pasmosa paciência com que tendes sofrido minhas enormes ingratidões e ofensas, com que me tendes esperado, com que, como a porfia comigo, quanto mais vos tenho ofendido, com quanto mais profusão, vós me tendes acumulado de graças, de dons e de benefícios! Bendito sejais, Senhor, por toda a Eternidade. Oh! se todos os meus membros se convertessem em línguas, nem ainda assim, bastariam para assaz vos louvar e engrandecer! Gloria, honra e louvor vos deem por mim todas as criaturas. Fazei Senhor, por vossa infinita Misericórdia, que até ao ultimo instante da minha vida eu permaneça n’estes sentimentos de gratidão, que os renove com maior fervor na hora da minha morte, e que vá louvar-vos e bendizer-vos por toda a Eternidade.

III.
Posto que os meus pecados tenham sido sem numero e mui graves e enormes, protesto que nem por isso ó meu Deus, desconfio da Vossa Divina Misericórdia a respeito do perdão d’eles e da minha salvação, antes pelo contrario muito confio que toda a Trindade Santíssima pelos infinitos merecimentos da Vossa Paixão e Morte, se ha de compadecer de mim, perdoar-me e salvar-me; mas para que esta esperança não seja da minha parte temerária, protesto e desejo de todo o coração animá-la com a pratica das boas obras e exato cumprimento dos meus deveres, para o que repito e renovo aqui, e proponho renovar e repetir na hora da minha morte as promessas do meu baptismo, renunciar satanás, às suas pompas, e obras, prometendo de conformar a minha vida com a minha fé, e de vos amar, servir, obedecer em quanto viver, e vos rogo e suplico o mais eficazmente possível me concedais a graça da perseverança e me assistais com o vosso poderoso auxilio agora e sempre, porem especialmente na hora da minha morte.

IV.
Já que até aqui tenho sido tão ingrato duro, e rebelde para convosco, meu amorosíssimo Redentor, que não só vos não tenho amado como devo, antes ofendido, e negado o por tantos e tão rigorosos títulos, devido tributo d’amor; já que sendo Vós o centro do meu coração, e devendo o meu coração ser todo para Vós, eu desgraçadamente em lugar de vos amar com todo o meu coração, é talvez a Vós a quem menos tenho amado: agora protesto, e desejo ansiosamente d’aqui em diante, até ao ultimo momento da minha existência, amar-vos sobre todas as cousas, com todo o meu entendimento, com todo o meu coração, com toda a minha alma, e com todas as minhas forças e só a vós amar, e ser o vosso amor o único dominante e soberano do meu coração.
Por amor de Vós, ó meu Deus, eu protesto também d’aqui em diante amar ao meu próximo como a mim mesmo. Por amor de Vós perdoo do coração a todos os meus inimigos, a todos quantos me têm ofendido, ou querem ofender, ou têm feito, ou desejam por qualquer modo ou maneira fazer mal: perdoai-lhes Senhor, não os castigueis: retribui-lhes antes em bens e graças, o mal que me houverem feito ou desejado fazer.
Por amor de Vós eu humildemente peço perdão a todos que eu tiver ofendido e escandalizado por palavras, obras, maus exemplo s, ou por simples descuidos e omissões: desejo dar todos, e a cada um, a devida satisfação e reparação, e muito vos suplico. Vos digneis fazer-me conhecer o que a este respeito devo praticar para alivio da minha consciência, prometendo eu tudo prontamente executar antes que chegue a hora da minha morte.

V.
Não é possível, ó meu Deus, bem amar-vos sem ter um grande pesar de vos não ter amado, por isso, muito e muito me pesa de vos não ter amado, e de vos haver tanto ofendido: protesto nunca mais ofender-vos; proponho emendar-me. Abomino e detesto tudo quanto é pecado; declaro e protesto que desde agora até ao ultimo instante da minha vida não quero mais desagradar-vos, não quero consentir em pensamento algum contra a vossa divina Lei: antes tormentos, antes infâmia, antes total perda de bens e de saúde, antes morte do que um só pecado e ofensa do meu Senhor. Quem dera a meus olhos lagrimas perenes e inconsoláveis, para chorar de dia e de noite os meus pecados! Oh! se o coração se me partira de dor e contrição de os haver cometido! Se eu morresse de excesso de pesar e arrependimento de ter pecado! Só Vós ó meu JESUS me podeis conceder tão especiais graças; eu as desejo sinceramente no meu coração, eu vol-as suplico humilde e ansiosamente. Mas que! um tão grande pecador ainda ousa pretender ser ouvido e atendido? Uma criatura tão ingrata e rebelde, ainda se atreve a suplicar graças, e graças tão especiais? Sim, ouso e suplico porque a Vossa Bondade, Amor e Misericórdia para com os pecadores não tem limites. Oh! se também houvera remédio para não ter pecado! Custasse ele o que custasse; custasse o sangue das veias, custasse a própria vida, todo o Sangue, mil vidas eu dera de boa vontade para Vos não ter ofendido uma só vez. Senhor, Misericórdia! Não entreis em juízo de rigor com o Vosso servo. Quem ó meu Deus aparecerá justificado na vossa presença! Continuai Senhor, a ostentar como até agora tão liberalmente tendes ostentado n’este miserável pecador, as Vossas Misericórdia s Eterno Pai, fixai vossos amorosos olhos sobre a face do vosso divino filho, meu Senhor JESUS Cristo, compadecei-vos de mim e perdoai-me. Esquecei-vos para sempre dos meus crimes, admiti-me à vossa Graça e amizade, e não permitais que eu torne a perder joia tão preciosa e inestimável. Não me deixeis jamais cair em tentação. Fazei com a vossa poderosa Graça, que sempre, mas especialmente no transe da morte, eu possa vencer e sair triunfante de todas as tentações e do tentador. Graça e Misericórdia Senhor, digo eu agora, Graça e Misericórdia desejo eu dizer na hora da minha morte.

VI.
Protesto, que eu desejo com a maior eficácia que me é possível, receber, na proximidade da minha morte todos os Santos Sacramentos próprios dos enfermos que se acham n’aquele perigo, e desde já, e com o maior empenho os peço. Peço o Santo Sacramento da Penitencia, e a vós, Senhor, todas as graças necessárias e convenientes para fazer então uma boa e perfeita confissão. Peço a Santíssima Eucaristia por viatico, e a vós, Senhor, me concedais os afetos mais devotos de que o meu coração é capaz, ajudado com a vossa Graça, para receber com o devido fruto o vosso Corpo, Sangue, Alma, e Divindade tão real e perfeitamente como estais no Céu, bem que oculto aos nossos olhos debaixo das espécies sacramentais. Peço-vos mui humildemente, ó meu amado JESUS não permitais que eu então fique privado da consolação de receber este preciosíssimo penhor da futura imortalidade. Desejo que a devoção e fervor d’esta minha ultima comunhão repare a tibieza e indignidade de todas quantas comunhões tenho feito em todo o decurso da minha vida. E se por qualquer incidente eu não poder conseguir esta felicidade, desde já eu declaro e protesto, que em tal caso a minha vontade e os meus mais veementes desejos são, de, ao menos comungar espiritualmente, e receber em desejos no meu coração o vosso Corpo Sacramentado, render-vos todos os meus afetos como se efetivamente vos recebesse, e desde já também rogo-vos digneis aceitar benignamente estes meus sinceros desejos, e derramar em minha alma, então mais que nunca necessitada, os vossos divinos dons e graças. Peço igualmente desde já o Santo Sacramento da Extrema-Unção, e a vós, meu Senhor JESUS Cristo, a disposição necessária para o receber, com fruto; e no caso de não o poder receber que nem por isso fique privado dos seus efeitos espirituais e tão saudáveis, dignando-vos vós, Senhor, misericordiosamente liberalisar-mos para conforto da minha alma em tão arriscado transe, a fim de resistir corajosamente, e vencer o inimigo. Peço em fim todas as orações, assistências, e socorros espirituais da Igreja, destinados para aquele passo; a aplicação da Indulgencia plenária; e benção Papal do Santo Padre Benedito XIV, e toda e qualquer benção e absolvição que possa ter lugar então receber; a lição dos salmos penitenciais, o oficio d’agonia, e todas as mais orações respetivas do ritual Romano, as quais todas desejo, e me proponho repetir e acompanhar conforme o estado da enfermidade m’o permitir, se não poder com a boca, com o coração, em espirito contrito, humilde e religioso, e desejo exalar o meu ultimo suspiro tendo invocado muitas vezes antes com fé e devoção, e repetindo então eu mesmo com a maior ternura e fervor o vosso Santíssimo e dulcíssimo nome, e o de vossa querida Mãe minha Senhora, pois é assim que eu quero, proponho, e ardentissimamente desejo finalizar a vida, e entregar a minha alma nas vossas mãos.

VII.
Protesto que com toda a resignação, e com a melhor vontade, aceito da vossa mão e da vossa adorável e amorosa Providencia a moléstia que deve pôr fim a meus dias, as dores, as aflições e angustias da morte, e a mesma morte, e proponho tudo sofrer e levar com espirito penitente e cristão, beijando a vossa divina e paternal mão, já em justíssimo castigo e expiação das minhas culpas, já em testemunho do meu amor, e do desejo de acompanhar-vos em vossa sacratíssima paixão, morte e Cruz, e de participar d’ela, pois que n’ela e por ela me remistes: por isso desde já vos ofereço todos aqueles padecimentos e a minha morte em satisfação dos meus pecados, e em sacrifício d’amor, gratidão, humildade e submissão a vossa Suprema Majestade; e não só conformo e resigno toda a minha vontade na vossa e renuncio toda a impaciência, mas em igual espirito e intenção me sujeito a todas as humilhantes mudanças, corrupção e dissolução por que o meu corpo ha de passar, e a que a morte o ha de reduzir em justíssima pena das ofensas, de que no decurso da vida, foi causa, e instrumento contra o seu mesmo Senhor e Criador. Convenho, e até mesmo estimo, que todos os meus membros, ossos, e carne sofram os horrores e humilhações da sepultura, para assim ao menos repararem por fim a enorme injustiça da sua rebelião contra o espirito, e mais que tudo contra vós. E ainda que iste não fosse indispensável pensão de todo o ser humano, eu mesmo se me fosse permitido, a pagaria por escolha minha, só para d’alguma maneira render à suprema Sabedoria de vossa divina Majestade um sacrifício, e testemunho nada equivoco, e incontestável, do meu reconhecimento, submissão, e humildade.

VIII.
Protesto finalmente, que desejo de todo o coração, e me preponho n’aquele ultimo transe abraçar me intima e amorosamente com a vossa sagrada Imagem, beijando a uma e muitas vezes nos pés, nas mãos e no Lado sacrossanto, espirar repetindo o vosso nome Santíssimo, e encomendando ao Eterno Pai a minha alma pecadora sim, mas banhada com o vosso preciosíssimo sangue. Igualmente desde já vos suplico, ó meu amantíssimo Salvador, vos digneis conceder me a graça eficaz de executar então pontualmente tudo quanto agora aqui proponho e protesto. Finalmente vos rogo, ó meu JESUS tenhais para com a minha alma piedade e misericórdia, e mui particularmente me concedais a graça final, e o fim ditoso para que vós me criastes e remistes, pelo qual unicamente suspiro, e ardentemente desejo conseguir, que é a posse da Bem-aventurança no gozo e visão beatifica de Deus, meu único, sempiterno e Sumo Bem. Amém.



[Figura: Ns. Sr. Crucificado.]
clique para ampliar a imagem


CONTINUA...
_

Tu me chamas...

o Filho unigênito de Deus, o Verbo
Viktor Vasnetsov - 1848


 Tu Me chamas


Mestre e não Me obedeces,

Luz e não Me vês,

Caminho e não Me segues,

Vida e não Me desejas,

Sábio e não Me escutas,

Amável e não Me amas,

Rico e não Me invocas,

Eterno e não Me buscas,

Justo e em Mim não confias,

Nobre e não Me serves,

Senhor e não Me adoras,

Se Eu te condenar, não Me culpes!


(Texto inscrito num vitral da Catedral de Lübeck, Alemanha)




Visto em: http://catedraismedievais.blogspot.com.br/.



Informe aqui seu e-mail para receber as publicações do Thesaurus Precum: Delivered by FeedBurner

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Visitas ao Santíssimo Sacramento e a Maria Santíssima Para Todos os Dias do Mês - XXXVIII [Figura: Ns. Sr. Crucificado.] clique para ampliar a imagem

VISITAS AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO E A MARIA SANTÍSSIMA PARA TODOS OS DIAS DO MÊS.

ATOS DE PREPARAÇÃO E DE AÇÃO DE GRAÇAS PARA A SAGRADA COMUNHÃO.

MODO DE REZAR A COROA DAS DORES DE NOSSA SENHORA E ATOS QUE DEVE FAZER O CRISTÃO TODOS OS DIAS.

LINDA EDIÇÃO DE NOVAS ORAÇÕES E A NOVENA AO SANTÍSSIMO E DEVOÇÕES A NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA ROCHA.


*
*   * 

 

RELIGIOSOS PROTESTOS


I.
Eu o mais miserável e maior de todos os pecadores, com o mais profundo respeito e submissão, humildemente prostrado ante o Trono de vossa Divina Majestade, e na vossa adorável e respeitável presença, protesto que creio firmemente tudo quanto crê e ensina a Santa Madre Igreja Católica Apostólica Romana, única e verdadeira Igreja, fora da qual não ha salvação, pois só esta foi instituída por Vós, verdadeiro Deus, e verdadeiro Homem, Verbo Divino feito carne para redenção dos homens, Redentor e Salvador nosso, Supremo Juiz que nos haveis de julgar, unigênito do Eterno Pai consubstancial com ele mesmo, e com Ele e com o Espirito Santo o mesmo e Único Deus. N’esta Fé, cujos mistérios todos e cada um dos seus artigos aqui hei por explicitamente confessados, e na qual por misericórdia Vossa, Senhor, tenho vivido desde o meu baptismo, protesto querer constante e inviolavelmente persistir, e apesar de tudo permanecer até ao ultimo instante da minha vida. Protesto vencer e desprezar, mediante a Vossa Graça todas as tentações com que o inimigo comum do gênero humano me possa acometer contra qualquer dos Dogmas ou verdades reveladas ensinadas pela Santa Madre Igreja, para o que imploro a Vossa Divina Graça, só com a qual poderei triunfar do mesmo inimigo; e se por desgraça minha, acontecer, que alienado dos sentidos, eu diga, pense ou faça alguma cousa que seja, ou pareça ser contraria, ou menos conforme a estes meus protestos, desde já para sempre tudo isso retrato, desdigo, revogo, desprezo, e declaro que nada d’isso é minha vontade, e que só é a renuncia, resistência, combate, e vencimento de tudo quanto for oposto ou menos conforme à Vossa Divina Fé.

II.
Protesto na vossa adorável presença, Senhor, que desejo render-vos infinitas graças, por me haverdes tirado do nada, criado para Vós e à Vossa imagem e semelhança, especialmente por me haverdes feito Cristão, chamando-me ao santo baptismo, e por ele ao seio da santa Igreja, concedendo-me o preciosíssimo dom da Fé com as mais virtudes infusas, e adotando-me por vosso filho e herdeiro do Céu, isto só a impulsos do vosso amor e Misericórdia, dignando-vos escolher-me entre milhares e preferir-me a um sem numero d’almas, que por vossa terrível e adorável Justiça foram deixadas na massa da perdição. Ah! que graças podem ser bastantes para tão especial e gratuita predileção!
E que direi eu da particular providencia com a qual desde os meus primeiros anos, desde o principio da minha existência no mundo, tendes vigiado sobre mim como o mais desvelado e amante Pai, fazendo sensível por modos tão notáveis, particulares, e até extraordinários um cuidado paternal o mais solicito e extremoso! Que direi da pasmosa paciência com que tendes sofrido minhas enormes ingratidões e ofensas, com que me tendes esperado, com que, como a porfia comigo, quanto mais vos tenho ofendido, com quanto mais profusão, vós me tendes acumulado de graças, de dons e de benefícios! Bendito sejais, Senhor, por toda a Eternidade. Oh! se todos os meus membros se convertessem em línguas, nem ainda assim, bastariam para assaz vos louvar e engrandecer! Gloria, honra e louvor vos deem por mim todas as criaturas. Fazei Senhor, por vossa infinita Misericórdia, que até ao ultimo instante da minha vida eu permaneça n’estes sentimentos de gratidão, que os renove com maior fervor na hora da minha morte, e que vá louvar-vos e bendizer-vos por toda a Eternidade.

III.
Posto que os meus pecados tenham sido sem numero e mui graves e enormes, protesto que nem por isso ó meu Deus, desconfio da Vossa Divina Misericórdia a respeito do perdão d’eles e da minha salvação, antes pelo contrario muito confio que toda a Trindade Santíssima pelos infinitos merecimentos da Vossa Paixão e Morte, se ha de compadecer de mim, perdoar-me e salvar-me; mas para que esta esperança não seja da minha parte temerária, protesto e desejo de todo o coração animá-la com a pratica das boas obras e exato cumprimento dos meus deveres, para o que repito e renovo aqui, e proponho renovar e repetir na hora da minha morte as promessas do meu baptismo, renunciar satanás, às suas pompas, e obras, prometendo de conformar a minha vida com a minha fé, e de vos amar, servir, obedecer em quanto viver, e vos rogo e suplico o mais eficazmente possível me concedais a graça da perseverança e me assistais com o vosso poderoso auxilio agora e sempre, porem especialmente na hora da minha morte.

IV.
Já que até aqui tenho sido tão ingrato duro, e rebelde para convosco, meu amorosíssimo Redentor, que não só vos não tenho amado como devo, antes ofendido, e negado o por tantos e tão rigorosos títulos, devido tributo d’amor; já que sendo Vós o centro do meu coração, e devendo o meu coração ser todo para Vós, eu desgraçadamente em lugar de vos amar com todo o meu coração, é talvez a Vós a quem menos tenho amado: agora protesto, e desejo ansiosamente d’aqui em diante, até ao ultimo momento da minha existência, amar-vos sobre todas as cousas, com todo o meu entendimento, com todo o meu coração, com toda a minha alma, e com todas as minhas forças e só a vós amar, e ser o vosso amor o único dominante e soberano do meu coração.
Por amor de Vós, ó meu Deus, eu protesto também d’aqui em diante amar ao meu próximo como a mim mesmo. Por amor de Vós perdoo do coração a todos os meus inimigos, a todos quantos me têm ofendido, ou querem ofender, ou têm feito, ou desejam por qualquer modo ou maneira fazer mal: perdoai-lhes Senhor, não os castigueis: retribui-lhes antes em bens e graças, o mal que me houverem feito ou desejado fazer.
Por amor de Vós eu humildemente peço perdão a todos que eu tiver ofendido e escandalizado por palavras, obras, maus exemplo s, ou por simples descuidos e omissões: desejo dar todos, e a cada um, a devida satisfação e reparação, e muito vos suplico. Vos digneis fazer-me conhecer o que a este respeito devo praticar para alivio da minha consciência, prometendo eu tudo prontamente executar antes que chegue a hora da minha morte.

V.
Não é possível, ó meu Deus, bem amar-vos sem ter um grande pesar de vos não ter amado, por isso, muito e muito me pesa de vos não ter amado, e de vos haver tanto ofendido: protesto nunca mais ofender-vos; proponho emendar-me. Abomino e detesto tudo quanto é pecado; declaro e protesto que desde agora até ao ultimo instante da minha vida não quero mais desagradar-vos, não quero consentir em pensamento algum contra a vossa divina Lei: antes tormentos, antes infâmia, antes total perda de bens e de saúde, antes morte do que um só pecado e ofensa do meu Senhor. Quem dera a meus olhos lagrimas perenes e inconsoláveis, para chorar de dia e de noite os meus pecados! Oh! se o coração se me partira de dor e contrição de os haver cometido! Se eu morresse de excesso de pesar e arrependimento de ter pecado! Só Vós ó meu JESUS me podeis conceder tão especiais graças; eu as desejo sinceramente no meu coração, eu vol-as suplico humilde e ansiosamente. Mas que! um tão grande pecador ainda ousa pretender ser ouvido e atendido? Uma criatura tão ingrata e rebelde, ainda se atreve a suplicar graças, e graças tão especiais? Sim, ouso e suplico porque a Vossa Bondade, Amor e Misericórdia para com os pecadores não tem limites. Oh! se também houvera remédio para não ter pecado! Custasse ele o que custasse; custasse o sangue das veias, custasse a própria vida, todo o Sangue, mil vidas eu dera de boa vontade para Vos não ter ofendido uma só vez. Senhor, Misericórdia! Não entreis em juízo de rigor com o Vosso servo. Quem ó meu Deus aparecerá justificado na vossa presença! Continuai Senhor, a ostentar como até agora tão liberalmente tendes ostentado n’este miserável pecador, as Vossas Misericórdia s Eterno Pai, fixai vossos amorosos olhos sobre a face do vosso divino filho, meu Senhor JESUS Cristo, compadecei-vos de mim e perdoai-me. Esquecei-vos para sempre dos meus crimes, admiti-me à vossa Graça e amizade, e não permitais que eu torne a perder joia tão preciosa e inestimável. Não me deixeis jamais cair em tentação. Fazei com a vossa poderosa Graça, que sempre, mas especialmente no transe da morte, eu possa vencer e sair triunfante de todas as tentações e do tentador. Graça e Misericórdia Senhor, digo eu agora, Graça e Misericórdia desejo eu dizer na hora da minha morte.

VI.
Protesto, que eu desejo com a maior eficácia que me é possível, receber, na proximidade da minha morte todos os Santos Sacramentos próprios dos enfermos que se acham n’aquele perigo, e desde já, e com o maior empenho os peço. Peço o Santo Sacramento da Penitencia, e a vós, Senhor, todas as graças necessárias e convenientes para fazer então uma boa e perfeita confissão. Peço a Santíssima Eucaristia por viatico, e a vós, Senhor, me concedais os afetos mais devotos de que o meu coração é capaz, ajudado com a vossa Graça, para receber com o devido fruto o vosso Corpo, Sangue, Alma, e Divindade tão real e perfeitamente como estais no Céu, bem que oculto aos nossos olhos debaixo das espécies sacramentais. Peço-vos mui humildemente, ó meu amado JESUS não permitais que eu então fique privado da consolação de receber este preciosíssimo penhor da futura imortalidade. Desejo que a devoção e fervor d’esta minha ultima comunhão repare a tibieza e indignidade de todas quantas comunhões tenho feito em todo o decurso da minha vida. E se por qualquer incidente eu não poder conseguir esta felicidade, desde já eu declaro e protesto, que em tal caso a minha vontade e os meus mais veementes desejos são, de, ao menos comungar espiritualmente, e receber em desejos no meu coração o vosso Corpo Sacramentado, render-vos todos os meus afetos como se efetivamente vos recebesse, e desde já também rogo-vos digneis aceitar benignamente estes meus sinceros desejos, e derramar em minha alma, então mais que nunca necessitada, os vossos divinos dons e graças. Peço igualmente desde já o Santo Sacramento da Extrema-Unção, e a vós, meu Senhor JESUS Cristo, a disposição necessária para o receber, com fruto; e no caso de não o poder receber que nem por isso fique privado dos seus efeitos espirituais e tão saudáveis, dignando-vos vós, Senhor, misericordiosamente liberalisar-mos para conforto da minha alma em tão arriscado transe, a fim de resistir corajosamente, e vencer o inimigo. Peço em fim todas as orações, assistências, e socorros espirituais da Igreja, destinados para aquele passo; a aplicação da Indulgencia plenária; e benção Papal do Santo Padre Benedito XIV, e toda e qualquer benção e absolvição que possa ter lugar então receber; a lição dos salmos penitenciais, o oficio d’agonia, e todas as mais orações respetivas do ritual Romano, as quais todas desejo, e me proponho repetir e acompanhar conforme o estado da enfermidade m’o permitir, se não poder com a boca, com o coração, em espirito contrito, humilde e religioso, e desejo exalar o meu ultimo suspiro tendo invocado muitas vezes antes com fé e devoção, e repetindo então eu mesmo com a maior ternura e fervor o vosso Santíssimo e dulcíssimo nome, e o de vossa querida Mãe minha Senhora, pois é assim que eu quero, proponho, e ardentissimamente desejo finalizar a vida, e entregar a minha alma nas vossas mãos.

VII.
Protesto que com toda a resignação, e com a melhor vontade, aceito da vossa mão e da vossa adorável e amorosa Providencia a moléstia que deve pôr fim a meus dias, as dores, as aflições e angustias da morte, e a mesma morte, e proponho tudo sofrer e levar com espirito penitente e cristão, beijando a vossa divina e paternal mão, já em justíssimo castigo e expiação das minhas culpas, já em testemunho do meu amor, e do desejo de acompanhar-vos em vossa sacratíssima paixão, morte e Cruz, e de participar d’ela, pois que n’ela e por ela me remistes: por isso desde já vos ofereço todos aqueles padecimentos e a minha morte em satisfação dos meus pecados, e em sacrifício d’amor, gratidão, humildade e submissão a vossa Suprema Majestade; e não só conformo e resigno toda a minha vontade na vossa e renuncio toda a impaciência, mas em igual espirito e intenção me sujeito a todas as humilhantes mudanças, corrupção e dissolução por que o meu corpo ha de passar, e a que a morte o ha de reduzir em justíssima pena das ofensas, de que no decurso da vida, foi causa, e instrumento contra o seu mesmo Senhor e Criador. Convenho, e até mesmo estimo, que todos os meus membros, ossos, e carne sofram os horrores e humilhações da sepultura, para assim ao menos repararem por fim a enorme injustiça da sua rebelião contra o espirito, e mais que tudo contra vós. E ainda que iste não fosse indispensável pensão de todo o ser humano, eu mesmo se me fosse permitido, a pagaria por escolha minha, só para d’alguma maneira render à suprema Sabedoria de vossa divina Majestade um sacrifício, e testemunho nada equivoco, e incontestável, do meu reconhecimento, submissão, e humildade.

VIII.
Protesto finalmente, que desejo de todo o coração, e me preponho n’aquele ultimo transe abraçar me intima e amorosamente com a vossa sagrada Imagem, beijando a uma e muitas vezes nos pés, nas mãos e no Lado sacrossanto, espirar repetindo o vosso nome Santíssimo, e encomendando ao Eterno Pai a minha alma pecadora sim, mas banhada com o vosso preciosíssimo sangue. Igualmente desde já vos suplico, ó meu amantíssimo Salvador, vos digneis conceder me a graça eficaz de executar então pontualmente tudo quanto agora aqui proponho e protesto. Finalmente vos rogo, ó meu JESUS tenhais para com a minha alma piedade e misericórdia, e mui particularmente me concedais a graça final, e o fim ditoso para que vós me criastes e remistes, pelo qual unicamente suspiro, e ardentemente desejo conseguir, que é a posse da Bem-aventurança no gozo e visão beatifica de Deus, meu único, sempiterno e Sumo Bem. Amém.



[Figura: Ns. Sr. Crucificado.]
clique para ampliar a imagem


CONTINUA...
_

Como aplicar nossas obras de caridade espiritual as Almas do Purgatório?

clique para ver mais imagens piedosas


Vários Concílios o definiram como dogma; Santos Padres e Doutores da Igreja o atestam a uma voz. Há uma prisão da qual não se sairá senão quando tiver pago o último centavo. (Mal. 18).

A Igreja, querendo que não nos esqueçamos das almas, consagrou um dia inteiro todos os anos à oração pelos finados. Determinou que em todas as missas houvesse uma recomendação e um momento especial pelos mortos. Ela aprova, sustenta e estimula a caridade pelos falecidos.

Como são esquecidos os mortos! Exclamava Santo Agostinho! E no entanto acrescenta S. Francisco de Sales, em vida eles nos amavam tanto. Nos funerais: lágrimas, soluços, flores. Depois, um túmulo e o esquecimento. Morreu... acabou-se!

Se cremos na vida eterna, cremos no purgatório. E se cremos no purgatório, oremos pelos mortos. O purgatório é terrível e bem longo para algumas almas, por isso devemos rezar muito pelas almas, socorrendo as almas, praticando a caridade em toda sua extensão. A devoção as almas do purgatório diz São Francisco de Sales encerra todas as obras de misericórdia, cuja prática, elevada ao sobrenatural nos há de merecer o céu.

A Santa Missa é o sacrifício de expiação por excelência. É a renovação do calvário, que salvou o gênero humano. A cada Missa, diz São Jerônimo, saem muitas almas do purgatório. Depois da Missa... 

A Comunhão. A Eucaristia é um Sacramento de descanso e paz para os defuntos, diz Santo Ambrósio. E o mesmo afirmam São Cirilo e São João Crisóstomo. Procuremos fazer boas comunhões lembrando-nos que quanto melhor as fizermos tanto mais aliviaremos os mortos. O Papa Paulo V estimulou a prática das comunhões pelas almas padecentes. Temos também as indulgências que entregamos a Deus para solver as dívidas das almas. Recitemos pequenas jaculatórias indulgenciadas. É tão fácil repeti-las em toda hora.

É uma mina de ouro que está a nossa disposição. Nossas orações são um meio de ajudar a salvar almas do purgatório.

São João Damasceno diz que há muito testemunho encontrado na vida dos Santos que provou claramente as vantagens da oração que se fazem pelos defuntos. Nossos sofrimentos junto a prece tem uma eficácia extraordinária para obter de Deus todas as graças. Aliviemos as almas do purgatório', com tudo que nos mortifica. A Via Sacra é uma prática das mais ricas de piedade. O Rosário é a rainha das devoções indulgenciadas.

Santa Gertrudes afirmava que uma palavra dita do fundo do coração e animada de sólida devoção tem mais eficácia que grande número de orações, feitas com pouco fervor. 

Mais uma forma de ajudar as almas é dar esmola ao pobre em sufrágio das almas benditas. As lágrimas que vossas esmolas enxugarem, o alívio que tiverdes dado aos que padecem fome, sede e frio, serão o alívio no purgatório para as almas sofredoras. É uma dupla caridade, socorrer os pobres por amor das almas. É dar duas vezes. Socorre os vivos e os mortos.



pelas almas do Purgatório.
(Jesus prometeu à Santa Gertrudes
que salvaria  (1000) mil almas do purgatório cada vez,
que cada pessoa rezar com fervor esta Oração)

Eterno Pai, Ofereço-Vos o Preciosíssimo Sangue de Vosso Divino Filho Jesus, em união com todas as Missas que hoje são celebradas em todo o mundo; por todas as Santas almas do purgatório, pelos pecadores de todos os lugares, pelos pecadores de toda a Igreja, pelos de minha casa e de meus vizinhos. Amém.

Fonte: Santas Almas do Purgatório. 

Vide também: http://precantur.blogspot.com/2016/11/o-assunto-e-dia-de-finados.html
_

domingo, 9 de dezembro de 2012

Visitas ao Santíssimo Sacramento e a Maria Santíssima Para Todos os Dias do Mês - XXXVIII

VISITAS AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO E A MARIA SANTÍSSIMA PARA TODOS OS DIAS DO MÊS.

ATOS DE PREPARAÇÃO E DE AÇÃO DE GRAÇAS PARA A SAGRADA COMUNHÃO.

MODO DE REZAR A COROA DAS DORES DE NOSSA SENHORA E ATOS QUE DEVE FAZER O CRISTÃO TODOS OS DIAS.

LINDA EDIÇÃO DE NOVAS ORAÇÕES E A NOVENA AO SANTÍSSIMO E DEVOÇÕES A NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA ROCHA.


*
*   * 


EXERCÍCIOS PARA ANTES E DEPOIS DA CONFISSÃO E COMUNHÃO. (II)




ORAÇÃO. Para antes da Comunhão.


Dulcíssimo, e amantíssimo Senhor JESUS a quem agora desejo receber, vós sabeis minha enfermidade, as necessidades que padeço, em quantos males, e vícios tenho caído, e quantas vezes fui oprimido, tentado, e enxovalhado: em vós tenho toda a consolação, alivio, e remédio. Falo com quem tudo sabe, e conhece todos os meus interiores, e só me pode perfeitamente consolar, e ajudar. Vós sabeis o bem de que mais necessito, e quanto sou falto de virtudes para dignamente vos receber. Purificai pois minha alma das manchas de minhas culpas, fazei-a digna morada vossa: comunicai-lhe vossas graças especiais, enchei-a de vossos soberanos dons abrasai-a nos incêndios do vosso Divino amor; para que depois de vos receber dignamente cá na terra, chegue também a gozar-vos eternamente lá no Céu. Amém.


Como o servo, que procura
As correntes sequioso,
Assim corro eu hoje a vós,
Meu JESUS Pai amoroso.

A Fé me dirige, e guia
Ao Augusto Sacramento,
Aonde a minh’alma encontra
O conforto, e o alimento.

Se vos não veem os meus olhos,
O meu coração vos vê,
E desmente os meus sentidos
A minh’alma, que em vós crê.

E sois vós, meu Deus, o mesmo
Que à terra humilde baixais?
E em certa circunferência
Vossa grandeza acanhais?

Perdeis por amor de mim
O Poder, e a Majestade?
Onde está a vossa gloria?
Onde a vossa imensidade?

Tamanho amor, e clemencia?
Nem eu sei avaliar,
E menos ainda posso
Com meus excessos pagar.


ORAÇÃO. Para depois da Comunhão.


sábado, 8 de dezembro de 2012

Visitas ao Santíssimo Sacramento e a Maria Santíssima Para Todos os Dias do Mês - XXXVII

VISITAS AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO E A MARIA SANTÍSSIMA PARA TODOS OS DIAS DO MÊS.

ATOS DE PREPARAÇÃO E DE AÇÃO DE GRAÇAS PARA A SAGRADA COMUNHÃO.

MODO DE REZAR A COROA DAS DORES DE NOSSA SENHORA E ATOS QUE DEVE FAZER O CRISTÃO TODOS OS DIAS.

LINDA EDIÇÃO DE NOVAS ORAÇÕES E A NOVENA AO SANTÍSSIMO E DEVOÇÕES A NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA ROCHA.


*
*   * 



EXERCÍCIOS PARA ANTES E DEPOIS DA CONFISSÃO E COMUNHÃO. (I)


ORAÇÃO Para antes da Confissão.

Clementíssimo Senhor meu JESUS Cristo, aqui vem já contrito a vossos Divinos pés este pecador ingrato, este filho prodigo, e arrependido. Desejara, Senhor, confessar minhas culpas penetrado da mais perfeita contrição, e lavar as manchas da minha alma com o vosso Sangue preciosíssimo; mas como de mim nada posso em ordem à minha salvação, a quem hei de recorrer, meu bom JESUS senão a vós, que sois o meu singular refugio, e a minha única esperança? Quem me pode valer, senão vós, que sois um Deus de infinita misericórdia, e piedade para com os miseráveis pecadores? Quem se há de compadecer de mim, senão vós, que sois Pai de infinita bondade, e amor para com todos os vossos filhos? Concedei-me pois eficazes auxílios da vossa graça, para conseguir os frutos do Santo Sacramento da Penitencia, que eu vou receber. Dai-me, Senhor, uma intima compunção, e humildade, como destes ao Publicano: dai-me lagrimas de verdadeiro arrependimento, como destes a S. Pedro: dai-me um terníssimo amor da vossa Divina Majestade, como destes a Santa Magdalena, para que, imitando eu estes grandes exemplares da penitencia, seja minha alma justificada pela vossa graça cá na terra, e algum dia glorificada pela vista da vossa Divina face lá no Céu. Amém.

Eu vos rogo, que escutando
De crimes o pregão,
Se enterneça, e se condoa
Vosso meigo coração.

Que os golpes, que sobre mim
Descarregar doloroso,
Subam ao Céu, fação eco
No vosso peito amoroso.

Que os propósitos amantes,
De nunca mais vos fugir,
Desse braço vingador
A espada fação cair.

E que no feliz momento,
Em que me achar perdoado,
Solteis os braços da Cruz,
Eu fique neles cerrado.

As negras vestes da culpa
Despi-me, Senhor, rasgai;
E as galas da virtude
Sobre minh’alma lançai.

Tendo a veste nupcial,
Possa.. Que grande ventura!
Ter lugar, ter aposento
Convosco, em gloria futura.

ORAÇÃO. Para depois da Confissão.

Amantíssimo Senhor JESUS e Deus meu, tenho recebido o Santo Sacramento da Penitencia, como meio, que vós ordenastes para remissão de todos os nossos pecados. Por tanto vos rogo, meu amabilíssimo Redentor, pelos vossos infinitos merecimentos, pelo preciosíssimo Sangue, que por mim derramastes, me concedais um geral perdão de todas as minhas culpas, e imprimais na minha alma os maravilhosos efeitos deste Santo Sacramento. Não sejam, Senhor, os meus pecados mais poderosos para condenar-me, do que os vossos Sacramentos, e vossa graça para salvar-me. Aceitai pois benigno esta minha sincera, e dolorosa confissão; e se nela cometi alguns defeitos por falta de dor, ou de inteireza, ou por qualquer outra circunstancia, com que a devia fazer, eu vos rogo, que tudo supra em bem da minha alma a vossa infinita misericórdia, e piedade. Amém.

Ah! meu Deus, e quem soubera
Devidas graças render
Por tão singulares dons,
Que acabo de receber!

Boca ingrata, que até agora
Blasfemaste o Senhor,
Manda às nuvens os teus brados,
Publica seu grande amor.

Peito rebelde, e aleivoso,
Que dominou o pecado,
D’hoje em diante somente
Serás a Deus consagrado.

Permiti, que a vossa graça
No meu coração lançada,
Dele não torne a sair,
Fique dentro em mim fechada.

Que faça contínua guerra
Às minhas cruéis paixões,
Que sempre combata, e vença
Perversas inclinações.

Que os meus desvelos só queira
Em vós constante empregar,
E sobre as vossas pisadas,
Té à morte caminhar.


ATOS Que se devem fazer antes da Comunhão com muita pausa, e fervor.

I.
ATO DE FÉ. Ah, meu amantíssimo Salvador, que excesso de amor, que abatimentos da vossa Divina Majestade praticastes, para vos unirdes a mim nesse adorável Sacramento! Sim, vós, sendo Deus, vos fizestes homem; sendo imenso, vos fizestes menino; sendo Senhor, vos fizestes servo: descestes do seio do Eterno Pai ao ventre de uma Virgem; do Céu a um Presépio do Trono da Gloria a um patíbulo de justiçados, e esta manhã saís desse Sacrário para virdes habitar dentro do meu peito.
Eis-ali, ó alma minha, o teu amante JESUS que ardendo naquele mesmo amor, com o qual te amou na Cruz, morrendo por ti, está naquele Divino Sacramento esperando que tu o venhas a receber, e desde ali está observando os teus pensamentos, o teu amor, os teus desejos, as tuas pretensões, e as ofertas, que vás a apresentar-lhe.
Eia pois, alma minha, aparelha-te para receberes a JESUS e primeiramente dize-lhe com fé: É possível, meu amado Redentor, que daqui a poucos instantes haveis de vir a mim! Um Deus infinito a um pecador tão mau, como eu sou! Ó Deus escondido, desconhecido da maior parte dos homens, eu vos creio, vos confesso, e vos adoro no SS. Sacramento por meu Senhor, e Salvador. E por confessar, e defender esta verdade, voluntariamente daria a própria vida. Vós vindes para me enriquecer das vossas graças, e para unir-vos todo a mim. Ah! e quanta deve ser, Senhor, a minha confiança, sabendo que vindes por motivos tão amorosos!

II.
ATO DE CONFIANÇA. Alma minha, dilata o teu coração. O teu JESUS pode fazer-te todo o bem: ele te ama excessivamente, espera pois grandes favores deste teu amante Senhor, que movido do seu grande amor, vem a consolar-te. Sim, meu amado JESUS eu confio na vossa bondade, que entrando vós hoje no meu peito, acendereis no meu pobre coração a suave chama do vosso amor puro, e um eficaz desejo de executar em tudo a vossa Santíssima vontade.

III.
ATO DE AMOR. Ah, Deus meu, Deus meu, verdadeiro, e único amante da minha alma! e que mais podeis fazer, Senhor, para serdes de mim amado? Não vos bastou o morrerdes por mim; quisestes instituir esse grande Sacramento, para vos dardes todo a mim, e unirdes o vosso coração ao meu coração, ao coração de uma criatura tão má, e tão ingrata, como eu sou. Oh amor imenso! Amor incompreensível! Amor infinito! Um Deus quer dar-se a mim!
Alma minha, tu o crês? E que fazes? Que dizes? Ó Deus, ó Deus, ó amor infinito, único objeto digno de todos os amores: eu vos amo com todo meu coração, amo-vos sobre todas as cousas, amo-vos mais que a mim mesmo, mais que a minha própria vida. Oh! se eu pudesse fazer que todas as criaturas vos amassem quanto vós mereceis! Ah! quem me dera amar-vos com aquele amor, com que vos amam os Serafins; com aquele amor, com que vos ama minha Mãe, e Senhora, Maria Santíssima! Afetos terrenos, saí do meu coração. Mãe do amor formoso, Maria Santíssima, ajudai-me a amar aquele Deus, que tanto desejais ver amado.

IV.
ATO DE HUMILDADE. És tu, alma minha, que vás a receber o sagrado Corpo de JESUS Cristo? E és tu digna de tão alto fervor? Ah! Deus meu! Quem sou eu, e quem sois vós? Eu bem sei, e confesso, que vós sois um Deus de Majestade infinita, e incompreensível, e quem eu sou, vós o sabeis, Senhor.
E é possível, meu JESUS que vós, pureza infinita, desejeis entrar em uma alma tão impura como a minha, e que tantas vezes tem sido manchada com o lodo vil dos meus enormes pecados! Ah! Senhor, à vista da vossa infinita Majestade, e da minha grande miséria, eu me envergonho de aparecer diante de vós. O temor, e o respeito me querem separar de vós, mas, se me retiro de vós, aonde irei? A quem hei de recorrer? E que será de mim? Não, Senhor, eu não quero ausentar-me de vós, antes desejo cada vez mais avizinhar-me a vós. Venho pois, ó meu amável Salvador, venho a receber-vos esta manhã humilhado, e confuso pelos meus pecados; mas todo confiado na vossa piedade, e no amor, que vós me tendes.

V.
ATO DE CONTRIÇÃO. Quanto me pesa, ó Deus da minha alma, de vos não ter amado, todo o tempo da minha vida! antes, em lugar de vos amar, por satisfazer os meus depravados apetites, tantas vezes ofendi, e desgostei a vossa infinita bondade. Eu vos voltei muitas vezes as costas: eu desprezei a vossa graça, e amizade. Ah! quanto me pesa, Senhor! Quem me dera que se partira o meu coração de dor! Aborreço mais que tudo, as ofensas, que vos tenho feito, assim graves, como leves. Eu espero que vós já me tenhais perdoado; mas, se ainda me não tendes perdoado, perdoai-me antes que eu agora vos receba: lavai com o vosso Sangue esta alma, em que quereis vir habitar daqui a poucos instantes.

VI.
ATO DE DESEJO.
Eia pois, alma minha, é chegada a hora feliz, na qual o teu JESUS ha de entrar no teu pobre coração. Eis aqui o Rei do Céu, o teu Redentor, e Deus, que já vem a ti. Dispõe-te a recebê-lo com amor. Chama por ele com eficaz desejo. Vinde, ó JESUS meu, vinde à minha alma, que muito vos deseja. Primeiro que vos deis a mim, Senhor, quero eu dar-me todo a vós. Eu vos entrego o meu miserável coração; aceitai-o, e vinde depressa tomar posse dele.
Vinde, meu Deus, depressa, e não tardeis, único, e infinito bem meu, meu tesouro, minha vida, meu paraíso, meu amor, meu tudo: eu quisera receber-vos com aquele amor, com que vos recebem as almas mais santas; com aquele amor, com que vos recebia Maria Santíssima.
Virgem Soberana, e Mãe minha, eu me avizinho já a receber o vosso Filho. Dai-me, Senhora, esta manhã o vosso JESUS como o destes ao Santo Velho Simeão: eu das vossas puríssimas mãos o quero receber: dizei-lhe que eu sou vosso servo, e devoto, porque assim olhará ele para mim com olhos mais amorosos. Assisti-me, valei-me.


 




CONTINUA...
_

Tríduo a Nossa Senhora da Imaculada Conceição

 

TRÍDUO A NOSSA SENHORA DA IMACULADA CONCEIÇÃO


de 5 a 7 de dezembro



Pelo sinal + da Santa Cruz, livrai-nos, Deus + Nosso Senhor, dos nossos + inimigos. Em nome do Pai +, e do Filho + e do Espírito Santo +. Amém.


HINO

Ave, esperança nossa,
Ave, benigna e pia,
Ave, plena de graça,
Ó Virgem Maria.
Ó Trindade santíssima,
A ti o hino de graças,
Por Maria, estupenda criatura,
Por todos os séculos. Amém.


ATO PENITENCIAL

Eu pecador me confesso a Deus todo-poderoso, à bem-aventurada sempre Virgem Maria, ao bem-aventurado são Miguel Arcanjo, ao bem-aventurado são João Batista, aos santos apóstolos são Pedro e são Paulo, a todos os Santos e a vós, Pai, porque pequei muitas vezes, por pensamentos, palavras e obras, (bate-se por três vezes no peito) por minha culpa, minha culpa, minha máxima culpa. Portanto, rogo à bem-aventurada Virgem Maria, ao bem-aventurado são Miguel Arcanjo, ao bem-aventurado são João Batista, aos santos apóstolos são Pedro e são Paulo, a todos os Santos e a vós, Padre, que rogueis a Deus Nosso Senhor por mim.

V. Kyrie eleison;
R. Christe eleison;
V. Kyrie eleison.
R. Senhor, tende piedade de nós;
V. Cristo, tende piedade de nós;
R. Senhor, tende piedade de nós.


LEITURA DO DIA: (IS 7,14)

Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco.


REFLEXÃO

O Senhor não habita da mesma maneira com a Bem-aventurada Virgem e com os Anjos. Deus está com Maria, como seu Filho; com os Anjos, Deus habita como Senhor. O Espírito Santo está em Maria, como em seu templo, onde opera. O arcanjo lhe anunciou: (Lc 1, 35) O Espírito Santo virá sobre ti. Assim, pois, Maria concebeu por efeito do Espírito Santo e nós a chamamos «Templo do Senhor», «Santuário do Espírito Santo». (cf. liturgia das festas de Nossa Senhora). Portanto, a Bem-aventurada Virgem goza de uma intimidade com Deus maior do que a criatura angélica. Com ela está o Senhor Pai, o Senhor Filho, o Senhor Espírito Santo, a Santíssima Trindade inteira. Por isso canta a Igreja: «Sois digno trono de toda a Trindade». É esta então a palavra mais nobre, a mais expressiva, como louvor, que podemos dirigir à Virgem.  (Sermão de São Tomás de Aquino).


ORAÇÃO:

Santa Maria, Rainha dos céus, Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo, Senhora do mundo, que a nenhum pecador desamparais nem desprezais; ponde, Senhora, em mim os olhos de Vossa piedade e alcançai-me de Vosso amado Filho o perdão de todos os meus pecados, para que eu que agora venero com devoção a Vossa santa e Imaculada Conceição, mereça na outra vida alcançar o prêmio da bem-aventurança, por mercê do Vosso benditíssimo Filho, Jesus Cristo, Nosso Senhor, que, com o Pai e o Espírito Santo, vive e reina para sempre. Amém.


Pai-nosso; Ave-Maria; Glória ao Pai.

Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós, que recorremos a vós. (Repetir três vezes).


ENCERRAMENTO:

Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!
Para sempre seja louvado!

V. Salve Maria Imaculada!
R. Sem pecado concebida!



sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Visitas ao Santíssimo Sacramento e a Maria Santíssima Para Todos os Dias do Mês - XXXVII [Figura: Ns. Sr. Crucificado.] clique para ampliar a imagem

VISITAS AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO E A MARIA SANTÍSSIMA PARA TODOS OS DIAS DO MÊS.

ATOS DE PREPARAÇÃO E DE AÇÃO DE GRAÇAS PARA A SAGRADA COMUNHÃO.

MODO DE REZAR A COROA DAS DORES DE NOSSA SENHORA E ATOS QUE DEVE FAZER O CRISTÃO TODOS OS DIAS.

LINDA EDIÇÃO DE NOVAS ORAÇÕES E A NOVENA AO SANTÍSSIMO E DEVOÇÕES A NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA ROCHA.


*
*   * 



ORAÇÃO A N. S. JESUS CRISTO SACRAMENTADO.


Meu Deus e meu divino Redentor que não satisfeito com o ter-me remido das prisões da culpa à custa da vossa sacratíssima Paixão e morte, quisestes ainda dar-me o vosso Santíssimo Corpo em comida e o vosso preciosíssimo sangue em bebida para assim ficardes unido à vossa criatura, e assegurá-la do excessivo amor, e da vossa poderosa proteção; eu vos rogo que por tantas finezas me concedais a de permanecer sempre convosco, vivendo d’aqui em diante com tanto cuidado sobre mim quanto pode a honra da vossa divina assistência dentro da minha alma afim de que vá gosar-vos na imortal pátria dos justos, onde todos vos louvemos por séculos. Amém.

No fim desta oração se rezará uma estação em desagravo ao SS. Sacramento, da maneira seguinte.

I.
Pelos que negam a real presença do Corpo e Sangue de Nosso Senhor J. C. no SS. Sacramento da Eucaristia.

P. N., A. M., G. P.

II.
Pelas irreverencias dos infelizes hereges e pecadores, feitas diante do SS. Sacramento.

P. N., A. M., G. P.

III.
Pelos que recebem o SS. Sacramento em pecado mortal.

P. N., A. M., G. P.

IV.
Pelos que estão sem a devida reverencia diante do SS. Sacramento.

P. N., A. M., G. P.

V.
Pelos que se não dispõem como devem para receber o SS. Sacramento.

P. N., A. M., G. P.

VI.
Pelos Sacerdotes que Celebram sem pureza de consciência.

P. N., A. M., G. P.

OFERECIMENTO DA ESTAÇÃO.

Aceitai meu amorosíssimo e divino Senhor Sacramentado, estes humildes obséquios e desejos da minha alma; seja o vosso excessivo amor o que dê a tudo aquela eficácia de que precisa para se conseguir o precioso fim das minhas deprecações, e da vossa benéfica vontade que é a salvação dos homens, e o viver com eles em eterna gloria por toda a eternidade.

Rogo-vos, meu Deus e Senhor, por todos os pecadores para que venham ao caminho da penitencia e nunca dele se afastem. Rogo-vos pelo aumento e pela paz da vossa Santa Igreja Católica Apostólica Romana, por todos os seus Pastores que a governam pela união e fidelidade dos Príncipes da terra pelo alivio das almas que estão no purgatório, pela perseverança dos justos, por todas as necessidades espirituais e temporais d’este reino e de todos os seus habitantes. Rogo-vos Senhor enfim que do alto do vosso Trono lanceis a vossa benção a todos os filhos da vossa Igreja. Amém.


 


[Figura: Ns. Sr. Crucificado.]
clique para ampliar a imagem


CONTINUA...
_

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Visitas ao Santíssimo Sacramento e a Maria Santíssima Para Todos os Dias do Mês - XXXVI

VISITAS AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO E A MARIA SANTÍSSIMA PARA TODOS OS DIAS DO MÊS.

ATOS DE PREPARAÇÃO E DE AÇÃO DE GRAÇAS PARA A SAGRADA COMUNHÃO.

MODO DE REZAR A COROA DAS DORES DE NOSSA SENHORA E ATOS QUE DEVE FAZER O CRISTÃO TODOS OS DIAS.

LINDA EDIÇÃO DE NOVAS ORAÇÕES E A NOVENA AO SANTÍSSIMO E DEVOÇÕES A NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA ROCHA.


*
*   * 

 


 OREMOS.


Ó Deus, que neste admirável Sacramento nos conservastes a memoria da vossa paixão, concedei-nos como vos suplicamos, que de tal modo veneremos os Sagrados Mistérios do vosso Corpo e Sangue, que experimentemos em nossas almas os piedosos frutos da vossa Redenção. Vós que viveis, e reinais com Deus Pai, em unidade do espirito Santo, que também é Deus por todos os Séculos dos Séculos. Amém.


Ladainha Da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.

JESUS meu Deus, Tende misericórdia de nós.
JESUS meu Criador, Tende misericórdia de nós.
JESUS meu Senhor, Tende misericórdia de nós.
JESUS Filho de Deus vivo, Tende misericórdia de nós.
JESUS Redentor do Mundo, Tende misericórdia de nós.
JESUS segunda pessoa da Santíssima Trindade, Tende misericórdia de nós.
JESUS feito homem por obra do Espirito Santo, Tende misericórdia de nós.
JESUS nascido de Santa Maria Virgem, Tende misericórdia de nós.
JESUS reclinado em um Presépio Tende misericórdia de nós.
JESUS adorado pelos Pastores, Tende misericórdia de nós.
JESUS na Circuncisão ferido e atormentado, Tende misericórdia de nós.
JESUS pelos Magos adorado, Tende misericórdia de nós.
JESUS em o Templo apresentado, Tende misericórdia de nós.
JESUS pelo rei Herodes perseguido, Tende misericórdia de nós.
JESUS para o Egypto desterrado, Tende misericórdia de nós.
JESUS a Maria e José obediente, Tende misericórdia de nós.
JESUS em Jerusalém perdido, Tende misericórdia de nós.
JESUS no Templo entre os Doutores achado, Tende misericórdia de nós.
JESUS por S. João batizado, Tende misericórdia de nós.
JESUS no deserto quarenta dias jejuando, Tende misericórdia de nós.
JESUS neste lugar pelo demônio tentado, Sede bendito e louvado.
JESUS em toda a vida pobre e mortificado, Sede bendito e louvado.
JESUS nosso caminho, vida, e verdade, Sede bendito e louvado.
JESUS aos homens ensinando, Sede bendito e louvado.
JESUS aos enfermos curando, Sede bendito e louvado.
JESUS aos mortos ressuscitando, Sede bendito e louvado.
JESUS os pecadores convertendo, Sede bendito e louvado.
JESUS os demônios afugentando, Sede bendito e louvado.
JESUS os ventos e tempestades reprimindo, Sede bendito e louvado.
JESUS os pés aos Discípulos lavando, Sede bendito e louvado.
JESUS o Santíssimo Sacramento instituindo, Sede bendito e louvado.
JESUS que nos mandastes pedir, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS por trinta dinheiros vendido, Eu vos peço perdão, e graça, e boa  morte.
JESUS no monte Olivete orando, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS na Oração aflito e angustiado, Eu vos peço perdão, e graça, e  boa morte.
JESUS prostrado em terra, e suando Sangue, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS aflitíssimo, e confortado pelo Anjo, Eu vos peço perdão, e graça,  e boa morte.
JESUS entregado aos Judeus por um Discípulo, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS preso e atado com duras cordas, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS acusado falsamente a Anás, Eu vos peço perdão, e graça, e boa  morte.
JESUS conduzido a casa de Caifás, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS na presença deste juiz confundido com salivas e bofetadas, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS levado ao pretório de Pilatos, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS acusado por amotinador do povo, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS mandado ir a presença da Herodes, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS desprezado como loco pelo Rei, e pelos seus soldados, Eu vos  peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS segunda vez conduzido a Pilatos, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS cruelmente açoutado, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS com espinhos coroado, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS como falso Rei escarnecido e injuriado, Eu vos peço perdão, e graça,  e boa morte.
JESUS requerido pelo povo a morrer crucificado, Eu vos peço perdão, e  graça, e boa morte.
JESUS à morte condenado, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS com a Cruz aos ombros atormentado, Eu vos peço perdão, e graça,  e boa morte.
JESUS em os vossos Passos pelo Cireneu ajudado. Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS por vossa Mãe compadecido, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS pela Veronica e pelas devotas lamentado, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS no Calvário injuriosamente despido, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS na Cruz pregado com os cravos, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS ferido com os martelos e pisado, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS no alto da Cruz pelo povo blasfemado, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS aflito com a sede, e desamparado, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS a vossa Mãe ao Discípulo João encomendado, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS ao Eterno Pai encomendando vosso Espirito, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS depois de morto, ferido no peito com uma lança, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS nos braços de vossa Mãe depositado, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.
JESUS pobremente sepultado, Eu vos peço perdão, e graça, e boa morte.

Cordeiro de Deus, que viestes ao mundo satisfazer os nossos pecados:  Perdoai-nos.
Cordeiro de Deus, que nos viestes merecer os dons da graça: Ouvi e  atendei-nos.
Cordeiro de Deus, que nos viestes livrar da eterna condenação: Tende compaixão nós.

ORAÇÃO.

Meu Senhor JESUS Cristo, que, pelo excesso do vosso amor para com os homens, sendo enviado ao Mundo por vosso Eterno Pai, quisestes padecer e morrer pela salvação de todos: peço-vos, Senhor, que aceiteis a memoria que tenho feito da vossa Santíssima Vida, Paixão e Morte; e concedei-me quando por tudo isto vos tenho pedido, e nos viestes merecer. Amém.

 


[Figura: Ns. Sr. Crucificado.]
clique para ampliar a imagem


CONTINUA...
_

Vale a pena ver...

Vale a pena ler